Avianca compra 100 aeronaves à Airbus

A Avianca assinou com a Airbus um acordo para a compra de 100 aviões A320neo, a maior encomenda única feita até hoje na história da aviação na América Latina. Este acordo, que inclui  os modelos A319neo, A320neo e A321neo, permitirá à Avianca manter uma das frotas mais jovens da região e substituir os aviões que […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Avianca assinou com a Airbus um acordo para a compra de 100 aviões A320neo, a maior encomenda única feita até hoje na história da aviação na América Latina. Este acordo, que inclui  os modelos A319neo, A320neo e A321neo, permitirá à Avianca manter uma das frotas mais jovens da região e substituir os aviões que atualmente asseguram as operações a partir dos hubs de Bogotá, Lima e San Salvador.

OJE

Recomendadas

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas”, afirma CEO do Access Bank

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas participarem no que acreditamos que irá gerar um valor mais forte à medida que África vai emergindo”, explicou Herbert Wigwe, CEO da Access Holding Pics, numa entrevista exclusiva para a Forbes África Lusófona.

JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro no Brasil

A JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro para a exploração de espaços publicitários na linha 4 do metro de São Paulo, tornando-se no maior grupo de meios no metro do Brasil.

Timor Gap regista novas imparidades devido a investimento no consórcio do Greater Sunrise

O relatório anual da petrolífera, a que a Lusa teve acesso, regista um lucro operacional negativo de mais de 26 milhões de dólares (26,1 milhões de euros), explicando que “o aumento da perda líquida se deve principalmente às perdas por imparidade”.