Avião da EgyptAir desaparece com 66 pessoas. Um português a bordo

O voo MS804, que fazia a ligação entre Paris e o Cairo desapareceu dos radares depois de entrar no espaço aéreo egípcio. Decorrem buscas no Mediterrâneo.

A maioria dos passageiros e tripulação eram egípcios (30) e franceses (15). No avião viajavam também dois iraquianos, um britânico, um belga, um kuwaitiano, um saudita, um sudanês, um chadiano, um argelino, um canadiano e um cidadão português.

O voo partiu do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, às 23h09 de quarta-feira, hora local, e deveria chegar ao aeroporto internacional do Cairo na madrugada de hoje. Segungo informações da companhia aérea EgyptAir, o voo MS804 desapareceu dos radares depois de entrar dentro do espaço aéreo egípcio.

Neste momento decorrem operações de busca no Mediterrâneo, envolvendo as Forças Armadas egípcias e meios da Grécia.

À cadeia de televisão norte-americana CNN, o vice-presidente da EgyptAir, Ahmed Abdel, disse  que o avião não realizou qualquer chamada de emergência.

OJE

Recomendadas

Eleições do Brasil: Bolsonaro mantém-se na liderança com 50% dos votos contados

A segunda volta é cada vez mais certeira, quando a contagem dos votos prossegue e a distância entre os dois principais candidatos à Presidência do Brasil diminui.

Eleições do Brasil: Primeiros números oficiais dão liderança a Bolsonaro sem maioria absoluta

Às 21h30, pouco mais de 1% dos votos válidos estavam contados. Em Lisboa, as urnas fecharam pelas 20:00, após o encerramento ser prolongado devido à forte afluência.

Enviado da ONU quer garantir “boa tradição de democracia e diálogo” nas eleições de São Tomé

“Vim para recolher informações, porque, como sabem, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, segue com bastante atenção a evolução da situação política deste país e emitiu um comunicado em que felicitou o povo são-tomense pela sua maturidade política”, disse Abdou Abarry, o novo representante especial para da ONU para a África Central.