Avião da Ryanair escoltado por caças após ameaça de bomba em voo entre Polónia e Grécia

O Boeing 737 da companhia irlandesa, que transportava 193 pessoas, foi desviado sobre o mar por precaução assim que se aproximou da capital grega, tendo sido depois autorizado a aterrar no aeroporto internacional da cidade, pelas 16:00 de Lisboa (18:00 na Grécia).

Um avião da Ryanair que fazia a ligação entre a cidade polaca de Katowice e Atenas teve de ser escoltado este domingo por caças F-16 gregos na sequência de uma ameaça de bomba, segundo informação reportada à “AFP” pela Ministério da Defesa da Grécia.

O Boeing 737 da companhia irlandesa, que transportava 193 pessoas, foi desviado sobre o mar por precaução assim que se aproximou da capital grega, tendo sido depois autorizado a aterrar no aeroporto internacional da cidade, pelas 16:00 de Lisboa (18:00 na Grécia).

“O piloto informou a torre de controlo de Atenas, mas não sabemos de onde veio originalmente a informação”, disse a porta-voz da polícia grega Constantia Dimoglidou.

A aeronave e a bagagem foram inspecionadas pelas unidades especiais da polícia imediatamente após a aterragem em Atenas.

“Todas as pessoas estão bem e seguras”, disse Elena Dimopoulou, a porta-voz do aeroporto.

O avião foi, num primeiro momento, escoltado por aviões de guerra húngaros até à intervenção da Força Aérea grega.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Bolsa da Turquia suspensa pela primeira vez em 24 anos

O sismo que atingiu İzmit, a 90 quilómetros de Istambul, em 1999, levou ao encerramento da bolsa turca durante uma semana.

Lula da Silva investe contra Banco Central do Brasil e diz que a sua independência é “bobagem”

Presidente brasileiro tem vindo a criticar o Banco Central por manter a taxa de juro nos 13,75%, apesar de a inflação estar abaixo dos 6%. Desde 2021 que a instituição está blindada do poder político, mantendo a sua independência face a Brasília.
Comentários