Aviões, mísseis e navios chineses entram no território de Taiwan no segundo dia de exercícios militares

Esta sexta-feira, as forças militares chinesas invadiram território taiwanês pelo ar e pelo mar, em demonstrações de força que prosseguem, depois da visita de Nancy Pelosi àquele país.

8 – Taiwan

Esta sexta-feira, aviões e navios chineses voltaram a realizar exercícios militares perto da ilha de Taiwan, alguns deles entrando mesmo no território. Foram também lançados mísseis, que chegaram a atravessar os céus de um país cuja soberania só é reconhecida por 14 países em todo o mundo.

É o segundo dia consecutivo em que o exército da China faz demonstrações de força perto da costa de Taiwan, numa altura em que a tensão entre os dois estados continua a escalar, depois de Taiwan ter recebido, em Taipé, a visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA.

As simulações de guerra estão a ser feitas em seis áreas ao redor da ilha e devem durar até ao meio-dia de domingo. Hoje foi registada a entrada de 20 aviões e 10 embarcações militares a invadirem as águas de Taiwan. O país considera que as manobras são “altamente provocadoras” e garante ainda ter sido alvo de ciberataques contra algumas redes governamentais.

“O nosso governo e o nosso exército estão a monitorizar de perto os exercícios militares e as operações de guerra de informação da China, prontos para responder da forma que for necessária”, disse a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, no Twitter.

Recomendadas

Cinco conglomerados chineses deixam “voluntariamente” Bolsa de Nova Iorque

As petrolíferos Sinopec e PetroChina, a subsidiária da Sinopec com sede em Sangai, a seguradora China Life Insurance e a gigante de alumínio Chalco figuram na lista da SEC, regulador do mercado norte-americano, ameaçadas de expulsão de Wall Street no caso de não cumprimento dos novos requisitos de auditoria.

PremiumPrimeiro-ministro assume postura de moderação

Um objetivo politicamente aceitável e o fim da intervenção militar em Gaza mal esse objetivo foi alcançado e antes que se tornasse incontrolável. A poucos meses das eleições, Yair Lapid não abre mão da segurança, mas quer ser diferente.

Angola vai a votos dia 24. Eleitores residentes fora do país podem votar pela primeira vez

Nestas quintas eleições da história participam sete partidos e uma coligação e além da primeira participação de dois partidos, o Partido Humanista (PH) e o Partido Nacionalista da Justiça em Angola (P-Njango).
Comentários