Bacalhau. Stocks na Islândia ao nível mais alto dos últimos 30 anos

Os stocks de bacalhau na Islândia estão ao nível mais alto desde 1985, mantendo a tendência de crescimento desde que em 2007 foram implementadas medidas para recuperar a espécie, de acordo com comunicado da Food – Fisheries and Agriculture da Iceland Responsible Fisheries. A política de pescas responsável adotada pelas autoridades islandesas tem permitido um […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Os stocks de bacalhau na Islândia estão ao nível mais alto desde 1985, mantendo a tendência de crescimento desde que em 2007 foram implementadas medidas para recuperar a espécie, de acordo com comunicado da Food – Fisheries and Agriculture da Iceland Responsible Fisheries.

A política de pescas responsável adotada pelas autoridades islandesas tem permitido um aumento gradual e controlado da pesca de bacalhau e outras espécies.

Para este ano a captura de bacalhau recomendada para as águas islandesas é de 239 mil toneladas, uma subida face às 210 mil toneladas capturadas em 2014.

Gudný Káradóttir, diretora da Food – Fisheries and Agriculture da Iceland Responsible Fisheries, explica que “a gestão das pescas na Islândia é baseada numa extensa pesquisa sobre os stocks de peixes e o ecossistema marinho. Um regime de limitação de capturas constitui a pedra angular do sistema de gestão da pesca islandesa. A gestão é igualmente regulada por outras medidas, como os limites de áreas de pescas, restrições nas artes de pesca e o recurso a áreas fechadas para conservar habitats vulneráveis e importantes”.

As medidas implementadas incluem a certificação que entrou em vigor em 2010 e que permite rastrear todo o produto desde que é pescado até chegar à mesa do consumidor.

Gudný Káradóttir acredita que “a recuperação dos stocks de bacalhau vai continuar, é o que nos dizem todos os indicadores. A pesca é essencial para a economia islandesa e é hoje entendido e aceite que sem uma gestão que garanta a sustentabilidade dos stocks no muito longo prazo, o sector das pescas,o segundo mais importante da nossa economia, estaria condenado”.

O bacalhau é a especie de peixe mais exportada pela Islândia que tem em Espanha, Reino Unido, França e Portugal os seus principais mercados.

O setor das pescas é o segundo com maior peso na economia islandesa e vale 41% das exportações de produtos, sendo que o setor das pescas e transformação de peixe  representa 5,3% dos postos de trabalho diretos na Islândia.

OJE

Recomendadas

UE acusa China de não garantir os direitos civis e políticos

A delegação da União Europeia (UE) na China publicou hoje um comunicado, por ocasião do Dia Internacional dos Direitos Humanos, no qual sublinha que “os direitos civis e políticos não estão garantidos” neste país asiático.

Venezuela. Três pessoas condenadas a 30 anos de prisão por conspiração para matar Maduro

A justiça da Venezuela condenou a 30 anos de prisão, a pena máxima no país, três pessoas, incluindo dois militares, acusadas de conspirar para assassinar o Presidente venezuelano Nicolás Maduro em 2018, anunciaram familiares.

Futuro ministro da Defesa do Brasil quer “despolitizar” Forças Armadas

O futuro ministro da Defesa do Brasil, José Múcio Monteiro, disse que a “despolitização” das Forças Armadas é “absolutamente necessária”, após os quatro anos de Jair Bolsonaro como Presidente brasileiro.