Bain Capital compra empresa de tecnologias de informação que opera em Portugal

A Inetum, que é uma empresas de serviços tecnológicos com presença em Lisboa, Porto, Aveiro, Bragança e Covilhã, vai ser vendida pelo grupo Mannai Corporation à Bain Capital.

O conselho de administração da Mannai Corporation QPSC aprovou, em reunião realizada na terça-feira, a entrada em negociações exclusivas com um grupo de investidores, liderado pela Bain Capital Private Equity e que inclui a NB Renaissance, para alienar a totalidade da sua participação na Inetum, que é uma empresas de serviços de TI (Tecnologias de Informação), com presença em Lisboa, Porto, Aveiro, Bragança e Covilhã.

A Inetum tem “mais de 2.500 talentos altamente qualificados nas áreas de SAP e OutSystems, serviços de TI, projetos de transformação, revenda de valor acrescentado e Software “, lê-se no site.

A alienação proposta abrange todas as ações da Inetum detidas pela Mannai Corporation QPSC, que representam cerca de 99% do capital social da Inetum, sem diluição. A Inetum que vai ser vendida é a empresa-mãe de um grupo internacional de serviços e soluções digitais.

O grupo de investidores é liderado pela Bain Capital Private Equity e inclui a NB Renaissance e a equipa de gestão da Inetum.

“A Mannai Corporation QPSC orgulha-se de ter feito parceria com a Inetum e a sua excelente equipa de gestão durante o seu período de enorme crescimento e expansão nos últimos seis anos. Estamos satisfeitos que a Inetum tenha agora a oportunidade de continuar a sua trajetória de crescimento e procurar novos horizontes ao lado da Bain Capital Private Equity e seus parceiros”, disse Keith Higley, diretor da Mannai Corporation QPSC.

“Aproveitando a nossa vasta rede local, estabelecida por via de vários investimentos anteriores em França, pudemos desenvolver um forte relacionamento com a equipa de gestão da Inetum e apreciar a sua longa experiência, credibilidade no setor e histórico sobre a capacidade de impulsionar o crescimento do seu negócio. Estamos muito entusiasmados por fazer parceria com a direção e a NB Renaissance para desenvolver as futuras oportunidades”, disse Matthias Boyer Chammard, managing director da Bain Capital Private Equity.

“A Inetum é um player líder em transformação digital que apoia os seus clientes a aproveitar as oportunidades apresentadas pela tecnologia. Desenvolvemos esta oportunidade através do nosso sourcing temático em serviços de TI, tendo havido o investimento em outros negócios do sector (incluindo Engenharia na Europa, e Genpact e Brillio a nível global). Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de apoiar o crescimento da Inetum por via de investimentos orgânicos e inorgânicos”, disse Giovanni Camera, da Bain Capital Private Equity.

“Em conjunto com os nossos novos parceiros observamos um grande potencial para acelerar ainda mais o crescimento e as capacidades da Inetum em todas as geografias e negócios onde operamos”, afirmou Vincent Rouaix, chairman e CEO da Inetum.

Os respetivos órgãos representativos dos trabalhadores do grupo Inetum, e os acionistas da Mannai Corporation QPSC serão consultados e convidados a aprovar a proposta de venda em assembleia geral extraordinária, a convocar oportunamente.

A conclusão da alienação proposta estará sujeita à obtenção das autorizações necessárias por parte das autoridades da concorrência e reguladoras competentes.

A Mannai Corporation QPSC é assessorada pelo Crédit Agricole Corporate and Investment Bank, J.P. Morgan e Lazard Frères enquanto consultores financeiros e a Clifford Chance Europe LLP como consultor jurídico.

Já a Bain Capital e NB Renaissance são assessorados pelo Credit Suisse, Torch Partners e Eight Advisory, bem como Weil, Gotshal & Manges LLP.

A Mannai Corporation QPSC é um grupo de capital aberto diversificado, abrangendo os principais sectores da indústria e serviços. Criado há 70 anos e sediado em Doha, no Qatar, cresceu ao longo dos anos por via de um portefólio de negócios e uma estratégia de diversificação geográfica. Hoje, as atividades principais incluem a tecnologia de informação e comunicação, distribuição automóvel, retalho de joias, distribuição de equipamentos pesados e serviços de engenharia para o sector do petróleo e gás.

Recomendadas
Nuno Melo

Nuno Melo vai pedir intervenção de Bruxelas e do BCE para as “falhas” do Banco de Fomento

Nuno Melo denuncia que o banco ainda não apresentou contas de 2020. A Comissão Europeia tem competência para acompanhar os fundos cuja gestão será cometida ao BPF e o BCE para verificar porque não há ainda um presidente do Conselho de Administração.

Luís Figo é embaixador de marca de óleos feitos a partir da cannabis

O antigo jogador de futebol é a cara da LF.CBD, empresa que cria óleos para a pele, que defende terem benefícios para o estado mental de quem os utiliza.

Vista Alegre ainda com prejuízos mas com forte recuperação

Com um aumento de quase 60% do volume de negócios, o grupo reduziu a dívida líquida em um milhão de euros, o que revela, diz, a solidez da sua tesouraria.
Comentários