Balcão do Emprego e Balcão do Óbito estão em testes no novo LabX

Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa apresenta esta tarde o Laboratório de Experimentação da Administração Pública. Investimento é de 760 mil euros nos primeiros dois anos.

O Governo apresenta hoje o LabX, o Laboratório de Experimentação da Administração Pública, destinado a melhorar os serviços públicos. Dois dos projetos que já estão em curso são o Balcão Único do Emprego e o Balcão do Óbito.

O LabX é apresentado esta tarde pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

Segundo explicou fonte oficial ao Jornal Económico, o LabX destina-se a reconhecer problemas dos serviços públicos, identificados pelos utentes, pelos funcionários e pela comunidade científica e empresarial, com o objetivo de serem testadas novas soluções que melhorem o dia-a-dia das empresas e dos cidadãos.

Um dos projetos em experimentação é o Balcão Único do Emprego, uma medida no âmbito do Simplex, já anunciada pelo Governo. O objetivo é concentrar num único espaço todos os passos que os desempregados terão de dar até voltarem a encontrar emprego e todas as interações que as empresas terão com os serviços públicos neste âmbito.

O projeto do Balcão Único do Emprego é coordenado pelo secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita e encontra-se em fase de desenvolvimento, tendo já terminado a fase de investigação.

Outra iniciativa que ainda está na fase de investigação – ou seja, no reconhecimento dos problemas dos serviços públicos – é o Balcão do Óbito. Este projeto será coordenado por vários Ministérios (Justiça, Finanças e Segurança Social) e por entidades privadas, como a banca, seguros, empresas de energia, água e telecomunicações.

O objetivo do Balcão do Óbito é o de reunir num único ponto de atendimento ao público todo um conjunto de serviços a que é necessário recorrer após falecimento de um familiar, explicou a mesma fonte.

Por sua vez, praticamente pronto está o Roteiro da Despesa, já noticiado hoje na imprensa. Este é um projeto que pretende apresentar as tarefas necessárias para uma entidade pública conseguir efetuar uma compra de bens ou serviços e proceder ao seu pagamento de uma forma simples e clara.

O LabX implica um investimento de 760 mil euros nos primeiros dois anos, sendo 55% desse valor financiado por fundos europeus. O principal investimento é em recursos humanos e na capacitação das equipas da administração pública para os projetos.

A equipa do LabX será composta por quatro pessoas e o recrutamento começa agora. A equipa contará com um elemento com formação na área da sociologia/antropologia, outro com formação em design de serviços, outro em gestão de projetos e com experiência na administração pública e um elemento com formação em Tecnologias de Informação.

A equipa será coordenada pelo gabinete da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa e, no primeiro ano de atividade, o LabX estará localizado em instalações temporariamente cedidas pela Imprensa Nacional Casa da Moeda.

 

Recomendadas

Marcelo “pessimista” teme efeitos de “discurso muito dramático” do BCE

Perante uma plateia de empresários portugueses em São Francisco, na noite de segunda-feira na Califórnia, hoje de madrugada em Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu, porém, também ele “uma análise pessimista” da conjuntura económica portuguesa nos próximos tempos, “por causa do mundo”.

Admitidas 13 candidaturas ao concurso público internacional do SIRESP

Para a SIRESP SA, o “número significativo de candidatos qualificados é demonstrativo de que se encontram asseguradas condições de concorrência adequadas entre os potenciais interessados do setor de mercado relevante e de que o concurso poderá vir a consubstanciar-se numa mais-valia económica e tecnológica para o interesse público, que o Estado visa prosseguir com a aquisição desses serviços”.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

Destaque do dia para a Rússia, que vai publicar os dados relativos à taxa de desemprego e outros indicadores macroeconómicos, numa altura em que o esforço bélico e o prolongamento das sanções começam a afundar a economia do país.
Comentários