Balcão Único do Emprego “vai facilitar” a vida de utentes e funcionários

Novo portal permite a pesquisa e inscrição em ofertas de formação profissional, ofertas de estágios, o sistema de notificações eletrónicas, e o requerimento do subsídio de desemprego. Outra das vantagens é a possibilidade de agendamento de atendimento presencial nos diversos pontos de atendimento do IEFP no país.

Cristina Bernardo

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, defendeu nesta segunda-feira que o Balcão Único do Emprego vai facilitar a vida das pessoas e dos funcionários dos serviços públicos de emprego.

Em Lisboa, na apresentação da medida do Simplex+, que também contou com a presença da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, o governante destacou que esta funcionalidade permite focar “em coisas mais simples, como poder entregar um requerimento para ter um subsídio de desemprego”.

Segundo o Executivo, o Balcão Único do Emprego tem como objetivo proporcionar um serviço que permita tratar de forma integrada todas as questões relacionadas com o emprego e com a formação profissional, contribuindo para melhorar a eficiência e a qualidade do serviço prestado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Este projeto surge no âmbito do programa Simplex + e é o primeiro desenvolvido em colaboração com o Labx, o Laboratório de Experimentação da Administração Pública.

Vieira da Silva sublinhou que esta é “uma funcionalidade muito importante porque através desta ligação entre o Instituto do Emprego e a Segurança Social, a pessoa tem a possibilidade de prescindir de uma mobilidade forçada, podendo submeter o pedido de subsídio de desemprego online”.

O Balcão Único do Emprego tem como objetivo proporcionar um serviço que permita tratar de forma integrada todas as questões relacionadas com o emprego e com a formação profissional, contribuindo para melhorar a eficiência e a qualidade do serviço prestado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Esta medida, conclui Vieira da Silva, traz “todas aquelas vantagens de poder, através destas plataformas, enviar certidões” e permite que estas circulem numa rede, o que “facilita a vida das pessoas e facilita muito” os serviços públicos do emprego, podendo assim dirigir mais recursos para tarefas “mais nobres e mais eficazes”.

O novo projeto permite, por exemplo, “acompanhar diretamente aquelas empresas que são grandes empregadores”, “acompanhar diretamente os desempregados de longa duração, há este conjunto de vantagens que este processo traz”.

O novo portal do Serviço Público de Emprego (IEFPonline) introduz novas funcionalidades que reúnem numa única porta de entrada ofertas de emprego, de estágio e de formação profissional.

Além disso, permite a pesquisa e inscrição em ofertas de formação profissional, a pesquisa e candidatura a ofertas de estágio, o sistema de notificações eletrónicas, bem como o requerimento do subsídio de desemprego e o agendamento prévio de atendimento presencial nos diversos pontos de atendimento do IEFP no país.

Relacionadas

Insegurança é “elevada”: como a OCDE vê o mercado de trabalho em Portugal

Relatório sobre estratégia de empregos diz que Portugal baixou visivelmente a taxa de desemprego nos últimos anos. Mas a insegurança do mercado de trabalho continua acima da média da OCDE devido aos elevados riscos relacionados com desemprego como é o caso do desemprego de longa duração.

Desemprego recua em outubro na zona euro. Portugal com 4ª maior quebra

A taxa de desemprego recuou, em outubro, na zona euro e na União Europeia, com Portugal a registar a quarta quebra homóloga, segundo o Eurostat.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Sentimento económico na Alemanha deteriora-se em setembro

O declínio do sentimento económico está a afetar os quatro setores da economia, com as empresas a avaliarem os seus negócios atuais como claramente piores.

OCDE. Escassez de energia pode levar a recessão na Europa e aumentar inflação em 1,5 pontos percentuais

Uma escassez de energia mais grave, especialmente de gás, poderia aumentar a inflação da zona euro em 1,5 pp (pontos percentuais) e reduzir o crescimento na Europa em mais de 1,2 pp, levando a uma recessão, alerta a OCDE.
Comentários