Banco Best já tem uma assistente digital a atender os clientes que se chama BEA

A BEA Best Electronic Assistant é assim um chatbot, assente em inteligência artificial, que responde às questões dos utilizadores sobre produtos e serviços. “A digitalização e a inovação fazem parte do ADN do Banco Best”, recorda Madalena Torres, CEO do Best.

A nova assistente do Banco Best  é um chatbot e chama-se BEA. O que é um chatbot?  É um programa de computador que tenta simular um ser humano na conversação com as pessoas.

A BEA Best Electronic Assistant é assim um chatbot, assente em inteligência artificial, que responde às questões dos utilizadores sobre produtos e serviços. “Com personalidade, fala com os Clientes num tom descontraído para tornar a experiência bancária mais interessante”, diz o banco digital do Novo Banco.

“A digitalização e a inovação fazem parte do ADN do Banco Best. A disponibilização da BEA Best Electronic Assistant, a nova assistente digital do Best, é o reflexo desse posicionamento de vanguarda e significa um passo à frente na oferta de soluções inovadoras que simplificam o acesso à informação por parte dos utilizadores e clientes”, destaca Madalena Torres, CEO do Best.

Esta nova ferramenta já está disponível no Website do Banco Best, bastando clicar no canto inferior direito “A Bea responde” para iniciar uma conversa e começar a tirar dúvidas sobre produtos e serviços do Banco.

Recomendadas

Governo aprova extinção do fundo de pensões da Caixa

A extinção do fundos de pensões da CGD já está aprovada. Os beneficiários não serão, contudo, prejudicados, já que as responsabilidades passam para a CGA.

Taxa média dos novos depósitos atinge 0,35%, a mais baixa da zona euro

Enquanto a remuneração dos depósitos continua baixa, a taxa de juro dos novos empréstimos para a compra de casa fixou-se em 3,24% em 2022, um máximo desde julho de 2014.

CEO do Santander Totta revela que são “poucos milhares” com crédito à habitação em risco de incumprimento

No entanto, Pedro Castro e Almeida deixou um alerta: “Se os juros subirem para 4%, vamos ter muito mais reestruturações”. Nesse cenário, este responsável acredita que a economia vai “arrefecer”, adiantando ainda que esse arrefecimento pode ser benéfico para Portugal.
Comentários