Banco central angolano suspende Finibanco do mercado cambial após detetar infrações

A medida cautelar de suspensão de participação no mercado cambial, por um período de 45 dias, pretende “assegurar os direitos dos depositantes e a tutela dos investidores”, explicou o banco central de Angola.

O Banco Nacional de Angola (BNA) suspendeu o Finibanco Angola do mercado cambial durante 45 dias, depois de ter detetado infrações na classificação do perfil de risco de clientes e no controlo das importações, divulgou esta instituição.

A medida cautelar de suspensão de participação no mercado cambial, por um período de 45 dias, pretende “assegurar os direitos dos depositantes e a tutela dos investidores” e ainda proteger o sistema financeiro angolano, explicou em comunicado o banco central de Angola.

A decisão surgiu após uma “inspeção pontual” ao Finibanco Angola para “aferir o grau de cumprimento da regulamentação referente à execução de operações cambiais” e “os critérios para a classificação de operações de risco”.

Nas infrações detetadas, estão o incumprimento do dever de classificação do perfil de risco de clientes, assim como a justificação da proveniência dos fundos para a realização de operações cambiais de Manutenção de Pessoa Física e Viagens.

Na nota de imprensa, o banco central angolano referiu também o incumprimento do dever de controlo da entrada de mercadorias, nas transações de importação e o incumprimento do dever de comunicação de operações suspeitas à Unidade de Informação Financeira (UIF).

O BNA apontou ainda que detetou o incumprimento do dever de dotar a instituição de um sistema de controlo interno adequado aos objetivos legalmente definidos, de modo a identificar e avaliar convenientemente os riscos inerentes às operações financeiras.

Recomendadas

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.

Tribunal de Contas não afasta cenário de novas injeções de capital no Novobanco

O juiz conselheiro relator do relatório da auditoria do Tribunal de Contas à gestão do Novobanco, José Quelhas, referiu hoje que não está afastado o cenário de novas injeções de dinheiro público no ex-BES.

Novo Banco: Tribunal de Contas atento ao acolhimento das recomendações, diz José Tavares

O presidente do Tribunal de Contas, José Tavares, afirmou hoje que o Tribunal “continuará ativo” em relação ao Novo Banco nomeadamente ao nível da aplicação das recomendações formuladas nas auditorias.
Comentários