Banco central de Inglaterra mantém taxa de juro em 0,25%

Banco da Inglaterra prevê aumento da inflação superior a meta dos 2% para 2017 mas aponta para riscos na economia global.

Jason Alden/Bloomberg

O Banco de Inglaterra (BoE) decidiu, na sua reunião desta quinta-feira, não mexer no quadro de política monetária, mantendo a taxa de juro de referência em 0,25%. Esta decisão foi tomada por unanimidade entre os nove membros do Comité, disse o banco central em comunicado.

Na visão do banco central, a tendência de desvalorização da libra, desde que o Reino Unido votou pela saída da União Europeia (“Brexit”), em junho, está a impulsionar a inflação, o que deverá pesar nos gastos das famílias no próximo ano.

A libra apagou parte de suas perdas nas últimas semanas, mas a expectativa é que a inflação ultrapassará a meta oficial de 2% em 2017. O índice de preços do consumidor subiu 1,2% em Novembro para máximos de dois anos.

A manutenção da política monetária do BoE acontece um dia depois de a Reserva Federal americana ter subido as taxas de juros pela primeira vez este ano, em 0,25 pontos percentuais, e revisto em alta as previsões para os custos do crédito em 2017.

O BoE explica ainda que o futuro governo de Trump poderá impulsionar a expansão da economia global, mas os riscos também se intensificaram. Problemas no sector bancário da zona do euro e o aumento dos custos de financiamento em alguns países emergentes são fragilidades apontadas. “A perspectiva global ficou mais frágil”, comentou o Banco.

A próxima reunião de política monetária é no dia 2 de Fevereiro do próximo ano.

Recomendadas

Dívida pública federal dos EUA supera 31 biliões de dólares

Aproximando-se do limite legal de 31,4 biliões – um limite artificial colocado pelo Congresso à capacidade de endividamento do governo federal -, a dimensão da dívida confronta uma economia que enfrenta uma inflação elevada, taxas de juro em crescendo e um dólar forte. 

Moldova mantém neutralidade mas irá fortalecer a cooperação com a NATO

A Moldova manterá a neutralidade, mas aprofundará a sua cooperação com a NATO para garantir a sua capacidade defensiva, declarou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros da Moldova, Nicu Popescu.

Espanha e Alemanha reúnem-se em cimeira pela primeira vez desde 2013

Espanha e Alemanha celebram na quarta-feira a primeira cimeira bilateral em nove anos, que coincide com um momento de sintonia entre os dois executivos em projetos como o do gasoduto para ligar a Península Ibérica à Europa central.
Comentários