Banco de Portugal atribui Prémio José da Silva Lopes a tese de mestrado da Católica-Lisbon

O prestigiado prémio, que destaca as melhores teses de mestrado da área da Economia, selecionou este ano quatro teses da escola de negócios da Católica em Lisboa entre as cinco melhores teses do país.

Martim Leitão, graduado da Católica-Lisbon, recebeu o Prémio José da Silva Lopes, atribuído pelo Banco de Portugal à sua tese de mestrado em Economia And Yet, They Last: The Employment.

A atribuição do prémio à melhor tese de mestrado de Economia em Portugal no biénio de 2020-2022 teve lugar esta segunda-feira, dia 14 de novembro, na 11ª Conferência do Banco de Portugal, subordinada ao tema “Desenvolvimento Económico do Espaço Europeu”, dedicado à análise de políticas públicas em Portugal.

Das cinco teses de mestrado selecionadas pelo Banco de Portugal, quatro são da Católica-Lisbon.

“Estamos muito orgulhosos com a distinção atribuída ao nosso aluno Martim Leitão, bem como dos restantes alunos cujo trabalho de investigação foi hoje reconhecido, encontrando-se entre as melhores teses de mestrado em Economia de todo o país”, afirmou Filipe Santos, Dean da Católica-Lisbon. “Este reconhecimento, de entre uma seleção altamente competitiva, espelha também aquela que é a missão da CATÓLICA-LISBON: praticar a excelência no ensino e investigação, dando aos seus alunos as melhores ferramentas para desenvolverem uma carreira extraordinária e contribuírem para o desenvolvimento e prosperidade de Portugal.”

Martim Leitão considerou ser “um sentimento muito gratificante ver reconhecida uma investigação que pode melhorar a nossa compreensão sobre como as crises se propagam numa economia. Esta linha de investigação pode ainda contribuir para um melhor desenho de políticas públicas e afetar dramaticamente o bem-estar das pessoas”.

Visivelmente orgulhoso, Martim Leitão, comentou ainda que o prémio “representa o culminar de uma jornada intensa de aprendizagem e evolução, que não seria possível sem o contributo de muitas pessoas. Gostaria de agradecer primeiro à minha mãe, pai e irmãos pelo apoio, mas também aos meus amigos, e à comunidade da Católica-Lisbon. Em especial, às minhas orientadoras de tese que me acompanharam de forma excecional”.

O Banco de Portugal atribui bienalmente, em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos, um prémio à melhor tese de mestrado em economia. Estas teses são escolhidas por um júri externo. Com o Prémio José da Silva Lopes, o Banco de Portugal pretende promover e reconhecer o mérito na elaboração de estudos económicos, uma área central para a missão que prossegue.

Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários