Banco de Portugal recebeu manifestações de interesse de 17 entidades para Novo Banco

O Banco de Portugal acaba de anunciar que foram 17 as entidades a demonstrar interesse na alienação do Novo Banco até às 17h00, hora limite fixada. No seguimento do convite do Fundo de Resolução, publicado a 4 de dezembro, “17 entidades manifestaram interesse no procedimento de alienação do Novo Banco S.A. dentro do prazo fixado […]

O Banco de Portugal acaba de anunciar que foram 17 as entidades a demonstrar interesse na alienação do Novo Banco até às 17h00, hora limite fixada.

No seguimento do convite do Fundo de Resolução, publicado a 4 de dezembro, “17 entidades manifestaram interesse no procedimento de alienação do Novo Banco S.A. dentro do prazo fixado (até às 17h00 de 31 de dezembro de 2014)”, refere-se num comunicado divulgado pelo Banco de Portugal.

Ainda sobre a primeira fase do procedimento de alienação do Novo Banco, o Banco de Portugal acrescenta que, “por motivos de confidencialidade”, enquanto promotor da transação não vai tornar pública a lista daquelas entidades.

Como está definido no caderno de encargos, o Banco de Portugal vai agora verificar se “os requisitos de pré-qualificação são cumpridos por parte de cada entidade que manifestou interesse no procedimento de alienação do Novo Banco”.

O Banco de Portugal poderá ainda pedir mais documentação e comunicará a sua decisão, individualmente a cada uma daquelas entidades.

Após assinarem um acordo de confidencialidade, as entidades pré-qualificadas receberão informação adequada sobre o grupo Novo Banco, uma comunicação detalhada sobre a fase seguinte do procedimento, e serão então convidadas a apresentar propostas não vinculativas, afirma ainda o Banco de Portugal.

A “atratividade da oferta financeira” será o principal critério de escolha entre as propostas apresentadas para compra do Novo Banco, cujo procedimento de venda tem quatro fases: manifestações de interesse, propostas não-vinculativas, propostas vinculativas e decisão final.

Nos termos do anúncio de lançamento da venda publicado no início de dezembro na imprensa pelo Fundo de Resolução, que detém 100% do Novo Banco, o segundo critério mais valorizado na escolha do comprador será a “disponibilidade […] para adquirir a totalidade dos ativos colocados à venda na operação”.

Seguem-se os “planos estratégicos e de desenvolvimento para o Novo Banco e quaisquer compromissos com estes relacionados assumidos pelos potenciais compradores” e o “impacto geral da operação na concorrência e estabilidade financeira do setor bancário em Portugal”.

OJE/Lusa

Recomendadas

Digi e Cellnex celebram acordo para instalação de rede 5G em Portugal

Esta é a primeira informação oficial a surgir depois de a Digi ter investido mais de 67 milhões de euros na compra de licenças 5G no leilão da Anacom.

Mastercard quer oferecer soluções tecnológicas de pagamento que incluam criptomoedas

A Economista Responsável pelos Mercados da Europa, Médio-Oriente e África no Instituto Económico da Mastercard, Natalia Lechmanova, mostrou como os hábitos dos consumidores estão a alterar-se nas economias ocidentais, onde “as pessoas estão a dar cada vez mais prioridade às experiências e menos a “coisas”.

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.