Banco do Japão deixa taxas de juro inalteradas

A instituição liderada por Haruhiko Kuroda não fez alterações à política monetária esta quinta-feira e disse que a economia nipónica mostra uma tendência “moderada de expansão”.

O Banco do Japão (BoJ) anunciou esta quinta-feira que manteve as taxas de juro inalteradas. Após uma reunião de dois dias, o banco central japonês optou por deixar a atual taxa de juro de referência a curto prazo em -0,1%, que se aplica desde 2016 para os depósitos das instituições financeiras.

A entidade liderada por Haruhiko Kuroda, além de manter a continuidade das suas principais medidas de política monetária, disse que a economia nipónica ainda está a seguir uma tendência de “expansão moderada”, com um “círculo virtuoso” em receitas e despesas, embora continue a notar-se sinais de desaceleração fora das suas fronteiras.

O BoJ, que estabeleceu como objetivo que a inflação japonesa atinja os 2%, também não fez alterações ao seu programa de compra de títulos do Estado nem ao programa de compra de ativos financeiros de privados.

Na conferência de imprensa que decorreu esta madrugada, o governador Haruhiko Kuroda disse que entre os pontos positivos político-económicos está o facto de que a guerra comercial entre os Estados Unidos da América (EUA) e a China foi “parcialmente evitada”. Na sua opinião, esse acordo de primeira fase poderá “ser positivo para mercado monetário do Japão”.

“Além disso, o sentimento dos investidores sobre o risco vai melhorar. Porém, ainda existem alguns riscos primários entre os EUA e a China”, acrescentou, nas declarações aos jornalistas, divulgadas pela imprensa internacional.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários