Banco Montepio e Junior Achievement Portugal promovem concurso para alunos do secundário

O Banco Montepio e o Junior Achievement Portugal (JAP) promoveram concurso para alunos de escolas secundárias nacionais, a designada 2.ª edição do Social Innovation Camp.

O Banco Montepio e o Junior Achievement Portugal (JAP) promoveram concurso para alunos de escolas secundárias nacionais, a designada 2.ª edição do Social Innovation Camp.

No evento de encerramento da iniciativa, que decorreu no dia 25 de novembro, os alunos participantes tiveram a oportunidade de apresentar os seus projetos a um painel de jurados composto por Gonçalo Duque, CEO da JAP, Isabel Silva, administradora do Banco Montepio, e Miguel Queimado, fundador e presidente da Associação Acredita Portugal. Após análise e reflexão, os júris decidiram as três equipas vencedoras.

“O Banco Montepio e a JAP, parceiros desde 2006, promoveram a segunda edição do Social Innovation Camp, uma iniciativa que desafiou 91 jovens dos 15 aos 18 anos a desenvolverem projetos ligados à sustentabilidade ambiental e social, no contexto dos seguintes ODS ( Objetivos Desenvolvimento Sustentável): cinco (Igualdade de Género), oito (Trabalho Digno e Crescimento Económico), nove (Indústria, Inovação e Infraestruturas), dez (Reduzir as Desigualdades), 12 (Produção e Consumo Sustentáveis) e 13 (Ação Climática)”, avança o banco liderado por Pedro Leitão.

“Numa experiência online, 18 colaboradores do Banco Montepio tiveram como missão ser consultores e mentores de alunos do ensino secundário de Norte a Sul do País. Os alunos tiveram a oportunidade de, num curto espaço de tempo, desenharem projetos que resolvem problemas reais da sua comunidade (concelho ou distrito da sua escola). Em contrapartida, os mentores foram também capazes de dotar os jovens de competências de trabalho – liderança, tomada de decisão, resistência ao fracasso, trabalho em equipa, técnicas de apresentação e comunicação oral”, lê-se no comunicado.

Em primeiro lugar, ficou a Equipa Fast Fashion da Escola Secundária de Molelos, que criou um projeto que pretende contribuir para a diminuição da pegada de carbono.

Em segundo lugar, ficou a Equipa Guarda Rios da Escola Profissional de Vila do Conde, que pretende criar ilhas flutuantes sustentáveis com plantações capazes de despoluir as águas através de geolocalizadores.

Em terceiro lugar, ficou a Equipa da Escola Profissional Gustave Eiffel – Entroncamento que desenvolveu a criação de um grupo de tutorias/mentorias para orientação e motivação dos alunos, de forma a reduzir as desigualdades geográficas, sociais, económicas e culturais e, consequentemente, o insucesso e/ou abandono escolar. “Este projeto pretende garantir uma maior igualdade de formação profissional de qualidade”, lê-se na nota.

Pedro Leitão, CEO do banco, reforça que “voltámos a trazer o Social Innovation Camp para a sociedade, um concurso focado em temas que consideramos fundamentais não só para o banco, mas para toda a sociedade”, referindo-se à “sustentabilidade e aos ODS”.

“Através das dinâmicas realizadas, os colaboradores do Banco Montepio contribuíram para resolver problemas reais de vários distritos do País. É desta forma que pretendemos continuar a caminhar, todos juntos para um futuro mais sustentável”, disse.

Recomendadas

Governo aprova extinção do fundo de pensões da Caixa

A extinção do fundos de pensões da CGD já está aprovada. Os beneficiários não serão, contudo, prejudicados, já que as responsabilidades passam para a CGA.

Taxa média dos novos depósitos atinge 0,35%, a mais baixa da zona euro

Enquanto a remuneração dos depósitos continua baixa, a taxa de juro dos novos empréstimos para a compra de casa fixou-se em 3,24% em 2022, um máximo desde julho de 2014.

CEO do Santander Totta revela que são “poucos milhares” com crédito à habitação em risco de incumprimento

No entanto, Pedro Castro e Almeida deixou um alerta: “Se os juros subirem para 4%, vamos ter muito mais reestruturações”. Nesse cenário, este responsável acredita que a economia vai “arrefecer”, adiantando ainda que esse arrefecimento pode ser benéfico para Portugal.
Comentários