Banco Português de Fomento continua sem apresentar as contas de 2020

O Banco Português de Fomento ainda não tem data para divulgar as contas de 2020. A Assembleia Geral que as aprova ainda não se realizou. Beatriz Freitas tinha dito em junho, aos deputados no Parlamento, que as contas de 2020 “iam ser publicadas em breve”. Mas oito meses depois ainda não há data para a publicação.

O Banco Português de Fomento ainda não publicou o relatório e contas de 2020, nem realizou a prévia Assembleia Geral para a sua aprovação. O Jornal Económico questionou a instituição sobre quando se prevê que as contas sejam divulgadas mas não obteve resposta.

Em junho de 2021,  a CEO do banco Beatriz Freitas, numa Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, explicava que as contas do Banco Português de Fomento de 2020 iam ser apresentadas até ao fim desse mês. Não só as contas do banco como as dos diversos fundos que estão debaixo da instituição. No final de 2020, o BPF tinha dez fundos sob gestão, num montante global de 3.811 milhões de euros, correspondente a 2.010 milhões de euros de capital realizado e 1.801 milhões de euros relativos ao valor das garantias de terceiro grau contratualizadas no Fundo de Contragarantia Mútuo (FCGM).

Mas, até ao momento, o banco não apresentou as contas de 2020. Trata-se das contas do primeiro exercício do banco criado pelo Governo para colmatar falhas de mercado no financiamento (dívida e instrumentos de capital) das empresas com garantia pública.

Beatriz Freitas explicou em junho do ano passado que o BPF iria apresentar contas consolidadas com as duas sociedades em que o banco participa (com a maioria do capital) e ainda as contas individuais.

Fontes do mercado questionam como é que “um banco público que vai ser capitalizado com dinheiro do PRR, nunca tenha prestado contas”.

As contas do Banco de Fomento de 2020 têm de ser aprovadas  em Assembleia Geral que ainda não se realizou. A justificar, em parte, o atraso está a situação política que levou a Assembleia da República a ser destituída e o país a ser submetido a eleições. Entretanto o Presidente da República vai dar posse ao novo Governo no dia 23 de fevereiro, podendo o banco estar à espera da tomada de posse para realizar a AG que aprove as contas.

Já quanto às contas de 2021, segundo apurou o Jornal Económico, é expectável que sejam publicadas em abril.

Banco de Fomento apresenta contas de 2020 até final de junho, revela presidente executiva

 

Recomendadas

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.

PremiumBanca antevê dificuldades em identificar todos os clientes em 45 dias

Os bancos têm 45 dias para verificar se têm clientes do crédito à habitação que qualifiquem para efeitos da aplicação do diploma do Governo, mas o apuramento dos rendimentos reais é um obstáculo.
Comentários