Banco Santander nomeia como novo CEO o atual presidente do Santander México

O conselho de administração do Banco Santander anunciou Héctor Blas Grisi Checa, atual CEO do Santander México e responsável pela região norte-americana, como CEO do Grupo e membro do conselho de administração do banco a partir de 1 de janeiro de 2023.

Três anos depois da polémica com a escolha falhada de Andrea Orcel para ocupar o cargo de CEO, o Banco Santander anunciou esta sexta-feira que Hector Grisi vai ser o novo presidente executivo do banco espanhol, substituindo Jose Antonio Alvarez.

O conselho de administração do Banco Santander anunciou Héctor Blas Grisi Checa, atual CEO do Santander México e responsável pela região norte-americana, como CEO do Grupo e membro do conselho de administração do banco a partir de 1 de janeiro de 2023.

O futuro CEO do maior banco da Península Ibérica terá ainda de passar pela aprovação do BCE no âmbito da tradicional avaliação de fit & proper.

O El Economista diz que a nomeação deve receber a aprovação do supervisor bancário e que não são esperadas objeções do BCE. Após esse período de transição, José Antonio Álvarez, que está no cargo desde 2014, permanecerá no Conselho de Administração como vice-presidente não executivo.

O futuro CEO ingressou no Santander em 2015 como CEO do Santander México e foi nomeado gerente regional para a América do Norte em 2019.

Grisi, de 55 anos, irá assim assumir as novas funções no início do próximo ano.

O facto de ser mexicano pode indicar que o Santander está focado no crescimento neste
país, onde a unidade de retalho do Citigroup está a ser disputada por diversas instituições, diz a BA&N Unit Research.

Recomendadas

Banco suíço UBS investe em unicórnio de inteligência artificial

O financiamento à norte-americana BigPanda ocorreu através da unidade de inovação e empreendedorismo UBS Next, que tem 200 milhões para startups tecnológicas e fintechs.

Fitch melhora perspetiva de evolução do Banco Angolano de Investimentos

A agência de notação financeira Fitch Ratings informou que alterou a avaliação do BAI de “Estável” para “Positiva”, ao mesmo tempo que estabeleceu a avaliação da dívida de longo prazo em ‘B-‘”, lê-se no comunicado hoje divulgado em Luanda, que surge depois de, a 15 de julho, a Fitch ter melhorado a perspetiva de evolução do ‘rating’ de Angola.

Banco central angolano suspende Finibanco do mercado cambial após detetar infrações

A medida cautelar de suspensão de participação no mercado cambial, por um período de 45 dias, pretende “assegurar os direitos dos depositantes e a tutela dos investidores”, explicou o banco central de Angola.
Comentários