Bancos angolanos recebem 17 “cheques carecas” por dia

O pico mais recente deste fenómeno dos “cheques-careca” aconteceu em 2013, quando 8.139 cheques foram devolvidos pelos bancos por falta de cobertura – um erro que chega aos 46,8 mil milhões de kwanzas (265,7 milhões de euros).

O sistema bancário angolano totalizou neste ano, em dez meses, 14.394 cheques devolvidos, 5.208 por falta de provimento.

O valor alcança os 19,2 mil milhões de kwanzas (109 milhões de euros) em ‘cheques carecas’, segundo dados do Banco Nacional de Angola divulgados hoje pelos meios de comunicação.

Em 2015 registaram-se 20.623 de cheques devolvidos por diversas razões, sendo que 9.603 foram por falta de provisão. No entanto, o valor real é maior atualmente, sendo que no ano passado se totalizaram 18 mil milhões de kwanzas (102 milhões de euros, à taxa de câmbio atual) em cheques devolvidos, um valor mais baixo do que o do ano corrente.

Angola está num momento de crise financeira, económica e cambial devido à forte quebra da cotação internacional do barril de crude, que resultou numa descida para menos de metade nas receitas fiscais com a exportação de petróleo desde finais de 2015, o que condiciona toda a economia.

O pico mais recente deste fenómeno dos “cheques-careca” aconteceu em 2013, quando 8.139 cheques foram devolvidos pelos bancos por falta de cobertura – um erro que chega aos 46,8 mil milhões de kwanzas (265,7 milhões de euros).

Recomendadas

Crédito à habitação. Governo suspende comissão de amortização antecipada em 2023

O Governo afasta, contudo, um regresso das moratórias no crédito da casa. Uma medida que iria “criar uma ilusão às pessoas de que podemos acabar com o aumento das taxas de juro”, disse o secretário de Estado do Tesouro.

XTB não antevê eclosão de outra crise financeira global com a situação do Credit Suisse

“Na situação atual, a eclosão de outra crise financeira global como consequência do potencial colapso deste banco parece improvável, mas mesmo assim as consequências locais e a curto prazo do futuro questionável do Credit Suisse devem ser tidas em conta”, concluem os analistas da corretora.

Fidelidade reforça posição na seguradora peruana La Positiva para 93,9%

Na sequência de uma OPA, a Fidelidade passou a controlar 93,9% da seguradora e para isso faz um investimento de 396,3 milhões de soles, o equivalente a cerca de 101,2 milhões de euros.
Comentários