Bancos multados em 200 mil milhões de euros

O departamento de justiça norte-americano já recebeu mais de 200 mil milhões de euros em multas aplicadas a bancos na sequência do seu envolvimento na crise do ‘sub-prime’.

A administração do presidente Barack Obama aproveita os últimos dias de governação para saldar as contas pendentes com os bancos que desempenharam um papel crucial nos anos anteriores à crise financeira de 2008, uma hecatombe que ficou conhecida pela crise do ‘sub-prime’.

O Deutsche Bank concordou ontem em pagar um total de 7.200 milhões de dólares (7.000 milhões de euros) às autoridades norte-americanas, quase metade do valor inicialmente avançado, enquanto o banco suíço, Credit Suisse, vai saldar as suas contas com a com a justiça dos EUA, desembolsando um total de 5.300 milhões de dólares (5.100 milhões de euros).

Ao mesmo tempo, o Departamento de Justiça já instaurou uma ação ao banco britânico Barclays por ter vendido mais de 30.000 milhões de euros em activos tóxicos que enfatizaram as consequências do cataclismo financeiro registado oito anos atrás.

Enquanto se aguarda a decisão em relação ao banco Inglês, recorde-se que os reguladores norte-americanos impuseram multas avultadas, tanto a entidades como externas, por más práticas relacionadas com a emissão e subscrição de títulos tóxicos e outras atividades ilegais entre 2005 e 2007, aproximadamente.

Contabilizando apenas as sanções impostas a grandes bancos (J. P. Morgan, Citigroup, Bank of America, Goldman Sachs, Morgan Stanley, Deutsche Bank e Credit Suisse) as multas superam os 60 mil milhões de dólares. De acordo com o ‘elEconomista’, mais de 175 acordos alcançados pela justiça americana com os bancos relativos à sua atuação nos anos anteriores à crise de 2008, renderam aos cofres norte-americanos 204 mil milhões de dólares. Este valor não inclui os acordos anunciados ontem com o gigante alemão e com a entidade suíça, ou seja, o valor supera os 200.000 milhões de euros à taxa de câmbio atual.

Recomendadas

Mercado Automóvel em Portugal cai 34,7% até setembro

Apesar do mercado automóvel ter caído entre janeiro e setembro, foram matriculados mais 12,8% automóveis no mês passado do que em período homólogo de 2021.

Medidas de apoio à inflação agravam endividamento das empresas e dinâmica inflacionista, alerta Fórum para a Competitividade

O think-tank critica as opções do Governo para o apoio a famílias e empresas face à subida generalizada de preços, sugerindo, ao invés, que haja uma dispensa do pagamento por conta no IRC, que o Estado pague as suas dívidas a fornecedores e que se acelere o investimento.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários