Banif anima negociação de títulos

Resta saber quais os interessados num banco em que o valor da dívida supera em muito o valor de mercado da instituição


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O Banif já comunicou ao regulador português o processo de venda da posição do Estado no banco. Esta confirmação tem animado a negociação dos títulos da instituição, por parte de investidores intraday, que procuram rendimentos rápidos num ativo favorecido pela “lei dos pequenos números”. Resta saber quais os interessados num banco em que o valor da dívida supera em muito o valor de mercado da instituição. No caso recente do Novo Banco, que detém apenas os ativos não-tóxicos do antigo BES, as propostas dos candidatos à compra foram bastante abaixo dos objetivos estabelecidos, permitindo concluir que o Estado, no negocio do Banif, será claramente penalizado.

Petróleo continua em destaque nos mercados financeiros, pela negativa, claro. As perdas da última semana trouxeram o ativo a cotar bem abaixo dos 40 USD (petróleo WTI) com probabilidade cada vez maior de se aproximar dos 30 USD. Este movimento continua a ser o catalisador das quedas generalizadas dos mercados acionistas, com o setor energético a ser penalizado, mas não só. O sentimento é claramente de venda na mesma medida que vai crescendo a convicção de aumento da taxa de juro da FED, suportado pelos dados positivos das vendas a retalho nos Estados Unidos. Ainda que a médio prazo possamos assistir a um fluxo de capitais dos mercados americanos para a Europa, no imediato, o impacto tende a ser negativo para os activos de risco.

Ainda o movimento do petróleo tem influenciado negativamente as cotadas portuguesas mais expostas ao activo. Galp, EDP, EDPR e REN recuam mais de 1%. A expectativa de revisão da política monetária nos Estados Unidos tem levado a uma venda em massa do ouro-negro. Ainda hoje, a Agência Internacional de Energia anunciou que 2016 continuará a ser um ano de excesso de oferta, abrindo portas para uma continuação da queda do preço do ativo.

OJE/XTB Portugal

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

A União Europeia deverá divulgar na quarta-feira dados concretos sobre a evolução do emprego no terceiro trimestre deste ano. O indicador é importante na definição da estratégia de política monetária daqui para a frente, já que historicamente sinaliza (ou não) um cenário de recessão – uma preocupação que tem estado na agenda dos bancos centrais.

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Encarnado toma conta de Wall Street no fecho da sessão

Mesmo as ações da Taiwan Semiconductor Manufacturing, que negoceia no Dow Jones, caíram mais de 3% apesar de a empresa ter anunciado um investimento de 40 mil milhões de dólares no Arizona, o maior de sempre neste estado norte-americano.