Banif. Proposta apresentada sexta-feira

O Banif poderá ter pelo menos um interessado na aquisição da participação de 60,5% que o Estado detém no banco.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O Banif poderá ter pelo menos um interessado na aquisição da participação de 60,5% que o Estado detém no banco, avança a TSF, acrescentando que proposta será apresentada esta sexta-feira.

A rádio conseguiu confirmar junto de fonte ligada ao processo que “esta sexta-feira chegará pelo menos uma proposta ao banco liderado por Jorge Tomé, sendo certo que já é assumido que o valor vai ser bastante inferior ao que estava a ser equacionado antes das notícias de domingo”.

Recorde-se que no início da semana o banco confirmou a existência de seis interessados na compra, da Europa e dos EUA. Desse lote, têm surgido com insistência os nomes dos espanhóis Santander e Popular, e do fundo norte-americano Apollo, que comprou a Fidelidade ao Novo Banco, segundo avança a TSF.

As ações do Banif estão suspensas de negociação na Bolsa de Lisboa desde o início da tarde, por ordem da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Fonte ligada ao processo justificou esta suspensão está relacionada com “a forte especulação à volta do título”, e admitiu que “esse era um cenário equacionado há já alguns dias”.

Ainda segundo a TSF, uma outra fonte ligada ao processo, diz esperar que o Estado esteja disposto a negociar e a encaixar algumas perdas. A esta altura, o Estado detém 60,5% do Banif correspondentes a uma injeção de 700 milhões de euros, e o banco ainda não devolveu 125 milhões correspondentes a um empréstimo do Estado que pode ser convertível em ações por falta de pagamento (CoCos).

Ao que a TSF apurou, do lado do Governo, o cenário de resolução ainda não está afastado, até porque será preciso avaliar as propostas de compra. Mesmo com baixo valor, o executivo socialista terá de pesar bem qual será a saída com menos custos para o Estado – resolução, ou venda a preço de saldo. A esta altura, uma coisa é certa, essa decisão terá de ser tomada até amanhã ao final do dia.

OJE

Recomendadas

Estudo descarta ligação direta do metrobus à Mealhada

Um estudo encomendado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra para a expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) descarta a ligação direta à Mealhada, por não conseguir competir com a ferrovia.

Spotify lança podcasts em vídeo a nível global

The Big Ones destaca semanalmente as inovações e movimentos estratégicos das empresas que lideram a nova economia.

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.