Bankia. Casillas quer recuperar meio milhão

O capitão da seleção espanhola de futebol e atual guarda-redes do FC Porto colocou um processo ao Bankia para recuperar um investimento de quase meio milhão de euros em ações, segundo a agência Efe. Casillas, um dos milhares de afetados pelo caso Bankia, empreendeu ações legais no início de setembro para recuperar um investimento total […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O capitão da seleção espanhola de futebol e atual guarda-redes do FC Porto colocou um processo ao Bankia para recuperar um investimento de quase meio milhão de euros em ações, segundo a agência Efe.

Casillas, um dos milhares de afetados pelo caso Bankia, empreendeu ações legais no início de setembro para recuperar um investimento total de 480 mil euros.

Quando o Bankia saiu da bolsa, o antigo guarda-redes do Real Madrid investiu 240 mil euros em seu nome e outros 240 mil euros com a sua sociedade Ikerca S. L., segundo revelou o site Vanitatis do El Confidencial.

OJE

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

Premium“Para quem não tenha notado, a Rússia vai ficar ali” e a segurança da Europa passa por lá

As palavras do presidente francês cairam mal na invadida Ucrânia e nos longínquos EUA. Entretanto, ninguém sabe quais serão as consequências da decisão sobre petróleo russo.

PremiumPaíses ocidentais com fortes reservas face à coligação em Israel

A colocação de um extremista, racista e adepto da violência na direção do ministério que trata da segurança interna do país é considerado um desastre em potencial. A não ser que Netanyahu queira fazer com Itamar Ben-Gvir o mesmo que fez há uns anos com Ben Gantz.