Bankinter assina acordo com BEI para linha de financiamento a PME

A nova linha destina-se a todos os sectores de actividade, para Pequenas e Médias Empresas Autónomas (PMEs) com menos de 250 empregados, ou para Empresas de Capitalização Média com mais de 250 e menos de 3.000 empregados.

O Bankinter assinou um acordo com o  BEI para um empréstimo de 300 milhões de euros, destinado a facilitar o financiamento de investimentos a Pequenas e Médias Empresas em Portugal e Espanha.

A nova linha destina-se a todos os sectores de actividade, para Pequenas e Médias Empresas Autónomas (PMEs) com menos de 250 empregados, ou para Empresas de Capitalização Média com mais de 250 e menos de 3.000 empregados.

Segundo o Bankinter, esta é uma linha de financiamento que permite que as empresas disponham de condições mais vantajosas, tanto em termos de condições de pagamento, como de taxas de juros, para desenvolver seus projetos.

A nota de imprensa do banco revela que “a nova linha Bankinter-Banco Europeu de Investimento  destina-se a financiar a aquisição, renovação ou extensão de activos corpóreos (que permite a aquisição de usados); o investimento em activos incorpóreos; a sucessão intergeracional (que consiste na cessão/transmissão de empresas a fim de garantir a continuidade da actividade económica da empresa – limitado a casos em que tanto comprador como o transmitente sejam PME e o valor não seja superior a 1 milhão de euros); e o apoio à tesouraria com financiamento de capital circulante a médio longo prazo, para apoio às obrigações derivadas do círculo comercial da empresa”.

“O lançamento desta linha de financiamento, que permite responder a necessidades específicas de Pequenas e Médias Empresas, é exemplo do nosso investimento na economia e nas empresas em Portugal”, refere Alberto Ramos, Country Manager do Bankinter Portugal no comunicado.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários