Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

A sucursal de Portugal do Bankinter e a seguradora COSEC assinaram esta terça-feira, em Lisboa, um protocolo de distribuição de seguro de créditos nas redes comerciais do banco espanhol. O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

O acordo entre as partes foi rubricado pelo CEO do Bankinter Portugal (Alberto Ramos), diretor da Banca de Empresas e membro da comissão executiva do Bankinter (José Luís Veja), presidente do conselho de administração da COSEC (Maria Celeste Hagatong) uma administradora executiva da COSEC (Ana Carvalho).

Na prática, a parceria permite auxiliar as organizações na melhoria da sua gestão financeira, através da cobertura do risco de não pagamento das vendas a crédito; aceder a diferentes condições de financiamento, com a apólice de seguro como colateral para o banco; apoiar as decisões estratégicas das empresas (conhecimento do Bankinter, analistas de risco e base de dados da COSEC) e identificar novos mercados de exportação, beneficiando da ligação acionista da COSEC à Euler Hermes.

“Este acordo permite à COSEC alargar a sua rede de distribuição e também a que mais empresas tenham acesso ao seguro de créditos e assim cresçam com solidez e segurança, com o acompanhamento especializado e personalizado da COSEC e do Bankinter”, afirmou a ‘chairman’ da companhia de seguros que celebra este ano o seu 50º aniversário.

“Insere-se no compromisso assumido de apoio às empresas em Portugal, concretizada pela disponibilização das melhores soluções no mercado. Esta associação, com uma entidade líder neste sector de atividade, permite reforçar o posicionamento como especialistas no apoio ao negócio internacional, que é um dos vetores chave de crescimento da nossa atividade em Portugal para o segmento de empresas, combinando as competências de ambas as entidades”, refere Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários