Barcelona vendeu 25% do negócio audiovisual por 100 milhões de euros

Os catalães fizeram uma venda que é permanente mas “pode ser recuperada”, informou o presidente do clube, que prevê agora ter liquidez financeira para poder inscrever todos os seus reforços neste mercado de transferências.

FC Barcelona

O Barcelona vendeu 25% da Barça Studios a troco de 100 milhões de euros à plataforma Socios. A venda inclui o metaverso do clube, os tokens não-fungíveis (NFT) e os tokens do clube da Catalunha, segundo assegurou o presidente do clube, Joan Laporta, esta segunda-feira. A conclusão do negócio foi também anunciada em comunicado no site oficial do clube.

A Barça Studios é o projeto audiovisual do clube, englobando estruturas como a Barça TV e as redes sociais do conjunto ‘azulgrana’.

“A venda da participação é para sempre, ainda que [a parcela vendida] possa ser recuperada”, destacou o executivo, na conferência de imprensa de imprensa de apresentação do mais recente reforço da equipa, o atleta Jules Koundé.

O clube prevê agora poder inscrever todos os jogadores que já contratou no mercado de transferências que está em curso, assim como os que ainda poderá contratar.

De referir que a plataforma Socios já trabalha com mais de 130 clubes, como são os casos do Manchester City, PSG, Atlético de Madrid, Juventus, Roma e Milan. Conta com 1,5 milhões de utilizadores.

Com este negócio, o Barça procura equilibrar a sua balança financeira, depois de ter tido prejuízos que ascenderam aos 481 milhões de euros no último exercício.

Recomendadas

Zelensky insiste com primeiro-ministro britânico que Rússia “não tem lugar” nos Jogos Olímpicos de Paris

Por seu lado, Sunak explicou ao presidente ucraniano que o Reino Unido está agora focado em “garantir que o equipamento militar defensivo” do país “chegue à linha da frente o mais rapidamente possível”.

Possível participação de russos nos Jogos Olímpicos de Paris gera discórdia entre Ucrânia e organizações internacionais

Como é habitual com o conflito na Ucrânia, a polémica passou as fronteiras russas e ucranianas e o assunto polarizou-se com organismos internacionais a favor da postura do COI, e alguns dos principais aliados de Kiev em oposição frontal à medida.

Chelsea e o cheque de 612 milhões: o “fair-play” da UEFA é uma treta? Veja o “Jogo Económico

Será o “fair-play” financeiro da UEFA para levar a sério? Só o Chelsea gastou mais dinheiro em janeiro do que todos os clubes na Bundesliga, La Liga, Serie A e Ligue 1 e esta época, os “blues” investiram 612 milhões de euros. Luís Cassiano Neves, sócio fundador da 14 Sports Law, é o convidado desta edição.
Comentários