Barril de petróleo Brent sobe 4,14% após OPEP + decidir redução na oferta

O preço do barril de petróleo Brent para entrega em novembro subiu hoje 4,14% no mercado futuro de Londres, depois de a OPEP+, liderada pela Arábia Saudita e Rússia, ter anunciado uma redução da oferta.

O petróleo do Mar do Norte, que é referência na Europa, negociava-se cerca das 13:30 na International Exchange Futures em Londres a 96,88 dólares o barril.

O grupo de 23 países produtores de petróleo vai reduzir a sua produção em 100 mil barris por dia a partir de outubro, depois de vários dias de especulação no mercado sobre a possibilidade de serem tomadas medidas para evitar que os preços do petróleo caíssem devido ao abrandamento da economia global.

Esta decisão vem anular o aumento de produção anunciado em agosto e põe fim, por enquanto, à política de aumentar a oferta para moderar o aumento dos preços do petróleo.

Os receios de uma desaceleração global e uma travagem na procura de petróleo mudaram a dinâmica do mercado nas últimas semanas, quando o preço do barril de petróleo Brent começou a cair e aproximou-se da barreira dos 90 dólares, um nível que não se via desde o início da guerra na Ucrânia.

Embora a OPEP+ não tenha dado detalhes sobre o que motivou a sua decisão, o mercado contava há dias que a Arábia Saudita tomasse medidas para evitar uma nova queda dos preços do petróleo.

Recomendadas

Luta da Fed contra a inflação atinge Wall Street no fecho da sessão

De resto, o organismo liderado por Jerome Powell deu conta na semana passada da possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Banco de Inglaterra anuncia cenário para “testes de stress” com libra em queda

O Banco de Inglaterra divulgou hoje o cenário para testar a resistência dos grandes bancos do Reino Unido, quando o mercado obrigacionista britânico e a libra estão abalados pelas medidas orçamentais anunciadas pelo novo Governo.

Bolsa de Lisboa entre as que mais caíram. EDP Renováveis lidera perdas

O BCE e a OCDE penalizaram os mercados. “O italiano Footsie MIB foi a exceção após a vitória maioritária de Giorgia Meloni do partido de extrema-direita para o cargo de primeira-ministra, nas eleições realizadas ontem”, realçou o analista do BCP.
Comentários