PremiumBayer escolhe startup de Óbidos para inovar na saúde digital

Hopecare venceu a sétima edição do concurso STEM4Health e quer chegar ao mercado alemão com a ajuda do grupo farmacêutico. Diretor da Bayer em Portugal diz ao JE que a empresa tem “potencial”.

A farmacêutica alemã Bayer vai, durante os próximos oito a doze meses, trabalhar lado-a-lado com os fundadores da Hopecare, uma startup de Óbidos que desenvolveu uma plataforma digital que permite aos profissionais de saúde darem assistência e fazerem triagem clínica e monitorização de sinais vitais de doentes crónicos.

A empresa portuguesa receberá mentoria e ficará no radar do grupo para um investimento, depois de ter vencido a sétima edição do concurso de inovação e empreendedorismo em saúde digital STEM4Health, que terminou na semana passada com um encontro entre entusiastas por telehospitais, em Carnaxide. E foi no meio dos “healthtechers” que o Jornal Económico (JE) encontrou o managing director da Bayer em Portugal, a quem admitiu que “Portugal é um mercado que cresce muito rápido”. “A Bayer quer ter uma parcela significativa deste mercado, sendo que 1% ou 2% já é bastante. Vejo que há um ecossistema de empreendedorismo forte e um sistema bastante aberto para acolher a saúde digital”, disse Marco Dietrich.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Telecoming e SL Benfica acertam acordo para a distribuição de conteúdos digitais mobile (com áudio)

A Telecoming fica encarregue de fazer a ponte entre os adeptos e simpatizantes benfiquistas através da criação de conteúdos digitais, dirigidos aos consumidores via mobile.

Aborto nos EUA. Fundador da Prozis responde a críticas de influencers: “Tentar destruir alguém pelas suas ideias é um sinal dos tempos” (com áudio)

“Acredito que esta politica de cancelamento possa destruir muitas vidas , principalmente destes tais influencers. Hoje sou eu, amanhã serão eles. É uma questão de tempo”, disse Miguel Milhão em resposta às críticas. Pelo menos, quatro embaixadoras da marca já anunciaram o fim das parcerias.

MEO, NOS e CTT são as empresas com mais queixas dos portugueses (com áudio)

Os sectores das comunicações eletrónicas, bens de consumo e serviços financeiros correspondem a dois terços das reclamações, 100.956 no total.
Comentários