‘Bazuca’ poderia ter rendido até 50 mil milhões de euros ao Reino Unido, realça comissário europeu

O comissário europeu para o Mercado Interno considera que a decisão do Reino Unido de abandonar o bloco europeu surge numa altura em que o país enfrenta um largo conjunto de dificuldades motivos pela pandemia. “É uma tragédia o que está a acontecer na Grã-Bretanha, e este Brexit é uma tragédia, vemos isso mais e mais a cada dia que passa”, afirma.

Caso tivesse optado por ficar na União Europeia, o Reino Unido poderia ter beneficiado não só do fundo de recuperação de 750 mil milhões de euros aprovado pelo executivo em Bruxelas, mas também poderia ter recebido mais apoio dos restantes estados-membros no combate à pandemia. A afirmação, citada, esta segunda-feira, pelo “The Guardian” foi proferida pelo comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton.

O comentário chega numa altura em que a Europa fecha as portas à Grã-Bretanha devido ao registo de uma nova estirpe do vírus Sars-Covi-2 que despoletou uma nova vaga de contágios no país, tendo maior incidência sobre a capital — uma situação que o comissário considera como “trágica”.

Face a esta nova onda de infeções, o Governo de Boris Johnson decretou mais restrições para o período da época festiva que já começaram a afetar as deslocações de pessoas e mercadorias dentro do país. Neste momento, cerca de quatro mil camiões de mercadorias ficaram impedidos de entrar em França, uma vez que o executivo de Macron ordenou que as fronteiras fossem encerradas por 48 horas.

Além da reabertura da fronteira com a França, o Executivo de Boris Johnson está também a negociar com os restantes membros da União Europeia para se proceder ao levantamento das restrições de voo. Porém, ainda não há data à vista, embora países como a Itália, Holanda, Dinamarca, Alemanha e Austrália tenham já registado casos da nova estirpe nos seus respetivos países.

“É uma tragédia o que está a acontecer na Grã-Bretanha, e este Brexit é uma tragédia, vemos isso mais e mais a cada dia que passa”, afirma.

“É uma decisão que respeitamos porque o povo britânico é soberano. Mas considere que se a Grã-Bretanha tivesse permanecido como desejamos, [o país] teria hoje, como todos os outros países europeus, entre 30 e 50 mil milhões de euros em ajuda, graças ao fundo da Next Generation EU da Comissão Europeia”, continuou.

Quanto ao Brexit, Brenton acredita que se vai chegar a um acordo antes do final do período de transição, que termina no réveillon para o país deixar efetivamente a lista de Estados-membros no primeiro dia do ano, embora as negociações que decorreram durante este fim de semana indiquem o contrário. No sábado, o Parlamento Europeu tinha urgido que Bruxelas e Londres chegassem a acordo no domingo, mas o mesmo não se sucedeu.

“Vamos chegar a acordo, mas vai ser uma perda de tempo”, acrescentou.

Esta segunda-feira, o governo de Boris Johnson descartou a extensão do prazo para chegar a um acordo comercial pós-Brexit até 2021, a meio de um impasse nas negociações e uma crise crescente da Covid- 19.

As negociações entre o Reino Unido e a UE prosseguem, faltando apenas dez dias para que seja possível chegar a um acordo. O Reino Unido tem seguido os regulamentos da União Europeia desde que deixou o bloco a 31 de janeiro, mas sairá do mercado interno e da união aduaneira quando esse período de “transição” terminar, no final do ano.

 

Relacionadas

Brexit: Boris Johnson resiste aos apelos para estender transição até 2021

Enquanto alguns membros da classe política britânica pedem que o período para as negociações seja estendido, o porta-voz de Boris Johnson já avisou que explicou que o executivo de Johnson iria “explorar todos os caminhos” para um acordo antes de 31 de dezembro.

Brexit. Mais de 2.400 britânicos registaram-se para residir em Portugal

Com o Brexit a aproximar-se, aumenta o número de britânicos a registarem-se para residirem em Portugal.
Recomendadas

Proposta do Chega para criar comissão de inquérito à gestão da pandemia será chumbada (com áudio)

Instrumentalização e banalização de comissões parlamentares de inquérito, esbanjamento de recursos, descredibilização de consensos e criação de ‘soundbite’ são as acusações dirigidas por PS, PAN e Livre ao Chega. Desde o início da legislatura, o partido já propôs cinco comissões parlamentares de inquérito, todas rejeitadas. O dia de hoje contribuirá para a tendência.

Pequim admite que Ómicron é menos virulenta e sugere fim de ‘zero covid’

A vice-primeira-ministra chinesa encarregue de supervisionar as políticas de prevenção epidémica reconheceu hoje que o país se encontra numa “situação nova” e que a virulência da covid-19 “está a enfraquecer”, sinalizando o fim da estratégia ‘zero casos’.

Covid-19: “Casa aberta” disponível para vacinação de pessoas acima dos 60 anos

As pessoas com 60 ou mais anos podem, a partir de hoje, tomar a dose de reforço da vacina contra a covid-19 e a vacina da gripe na modalidade de “casa aberta”.
Comentários