BCE confirma recondução de Paulo Macedo na liderança da CGD

O processo deveria ter ficado concluído em maio, mas ficou atrasado pela demora na entrega dos nomes apontados pelo Governo a Bruxelas e na confirmação por parte do BCE do novo Conselho de Administração da CGD.

O Banco Central Europeu (BCE) viabilizou esta segunda-feira o novo Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos, confirmando a recondução de Paulo Macedo como vice-presidente deste organismo e presidente da Comissão Executiva do banco e a nomeação de Farinha Morais como presidente não-executivo.

Os nomes apontados pelo Governo para liderarem o banco público português haviam ficado fechados em julho, mas, dado o atraso na confirmação pelo regulador bancário europeu, só esta segunda-feira foram aprovados.

Além de Paulo Macedo e Farinha Morais, o BCE confirmou a nomeação de Madalena Talone e Manuela Ferreira, que entram para os lugares de Carlos Albuquerque e José de Brito na administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD). Este último passa para a posição de vogal não executivo e vogal da comissão de auditoria.

A Comissão Executiva será ainda composta por José João Guilherme, Francisco Cary, João Paulo Tudela Martins, Maria João Carioca e Nuno Alexandre de Carvalho Martins.

“A nova composição do Conselho de Administração da CGD assenta numa estratégia de continuidade, com alguns elementos de renovação, nomeadamente o chairman, com vista a salvaguardar a estabilidade da gestão e a prossecução dos bons resultados nos próximos anos. A escolha dos novos administradores ou a sua recondução pautou-se por critérios de competência, elevado sentido de interesse público, independência e valores éticos”, lê-se no comunicado do Ministério das Finanças.

“Estou confiante de que o novo Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos assegurará com o maior sucesso a estabilidade financeira da instituição, contribuindo para solidez do nosso sistema financeiro, para a promoção da poupança, para a competitividade da nossa economia, através do financiamento das empresas e das famílias”, afirmou também o ministro das Finanças, João Leão, que aproveitou ainda para deixar um agradecimento a Rui Vilar pelo “papel fundamental que desempenhou neste último mandato para o sucesso obtido pela CGD”.

[notícia atualizada às 21h51]

Recomendadas

PremiumMontepio suspende projeto para retirar 700 milhões de malparado

Chama-se “Projeto Douro” e pretendia retirar do balanço do banco entre 600 a 700 milhões de imóveis e crédito malparado a grandes empresas. Mas o processo está parado e sem data de retoma.

Laginha de Sousa defende a tributação do carbono para alinhar os incentivos privados com os objetivos sociais

Numa intervenção nas ESG Talks, o ainda administrador do Banco de Portugal e futuro presidente da CMVM, Luís Laginha de Sousa, citou um estudo recente da consultora McKinsey, que constata que mais de 90% das empresas do S&P 500 publicam atualmente algum tipo de relatório sobre sustentabilidade ESG. 

Fundação Santander lança mil bolsas para curso de negócios digitais

A Fundação Santander lançou mil bolsas que dão acesso ao curso Digital Business Development do Técnico+ Formação Avançada, unidade de pós-graduação do Instituto Superior Técnico.
Comentários