BCE pede 8,8 mil milhões de euros ao Monte dei Paschi

O aumento de capital do banco italiano Monte dei Paschi di Siena, segundo exigências do Banco Central Europeu (BCE), será de 8,8 mil milhões pelo Estado e pelos accionistas.

REUTERS/Max Rossi

O aumento de capital que o banco italiano Monte dei Paschi precisa é afinal de 8,8 mil milhões de euros e não de 5 mil milhões.

A exigência é do BCE, regulador bancário europeu, e a notícia está a ser difundida pela imprensa local, mas tem origem no jornal italiano Il Sole 24 Ore.

O BCE baseia esta nova exigência nos resultados dos testes de stress de julho, no entanto, avaliada à luz do tratamento que foi dado aos bancos gregos.

O banco central prevê que o Estado italiano injete 4,5 mil milhões de euros no banco italiano, enquanto os restantes 4,3 mil milhões, serão obtidos através da emissão de obrigações, destes dois mil milhões de euros, seria destinada ao reembolso dos detentores de obrigações subscritas por clientes do banco junto da respetiva rede de retalho.

Recomendadas

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.

PremiumBanca antevê dificuldades em identificar todos os clientes em 45 dias

Os bancos têm 45 dias para verificar se têm clientes do crédito à habitação que qualifiquem para efeitos da aplicação do diploma do Governo, mas o apuramento dos rendimentos reais é um obstáculo.
Comentários