BCE pronto para injetar dinheiro até setembro, dizem os analistas

O Banco Central Europeu deverá anunciar o prolongamento do seu programa de compra de ativos até setembro.

Segundo analistas consultados pela Bloomberg, o Banco Central Europeu deverá anunciar na reunião do Conselho de Governadores, marcada para a próxima quinta-feira, que o programa de compra de ativos deverá prolongar-se depois de março, o que poderá significar a sua extensão por mais seis meses, até setembro, ao ritmo de 80 mil milhões de euros por mês.

Franck Dixmier, Global Head of Fixed Income da Allianz Global Investors, acrescenta: “Vai manter esta orientação acomodativa por duas razões. Em primeiro lugar, nas últimas duas ou três semanas, as comunicações do BCE têm-se focado, de forma consistente, nos números decepcionantes da inflação. Em segundo lugar, a atual volatilidade do ambiente político não apresenta quaisquer sinais de acalmia. Apesar da decisão da Áustria de não eleger um candidato de extrema-direita, o voto ‘Não’ italiano abre caminho à instabilidade continuada na Zona Euro.”

O programa de compra de obrigações da dívida soberana do BCE fixar-se-à no valor de 1,7 milhões de milhões de euros até março. A autoridade monetária europeia pode apenas comprar obrigações com ‘yields’ acima das suas taxas de depósito de -0,4%.

“Na nossa reunião de política monetária em dezembro avaliaremos as várias opções que permitirão ao conselho do BCE manter o elevado nível de política acomodatícia para assegurar a convergência sustentada da inflação para níveis abaixo, mas perto dos 2% a médio prazo”, disse Mario Draghi, que falava no Parlamento Europeu no final do mês passado.

Recomendadas

Consumo de gás natural em Portugal diminuiu 5,7% em novembro

O consumo de gás natural em Portugal reduziu-se em 5,7% em novembro, para 5.304 gigawatts hora (GWh), face a igual mês do ano anterior, revelou hoje a Adene – Agência para a Energia.

Volume de negócios na indústria abranda para 16,2% em outubro

Os resultados foi fortemente influenciado pela evolução dos preços na indústria, cujo índice cresceu 16,2% (face a 19,7% em setembro).

Exportações e importações aumentaram 21,1% e 26,2% em outubro

“O défice da balança comercial agravou-se em 814 milhões de euros face a outubro de 2021, atingindo 2 833 milhões de euros. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice totalizou 1 983 milhões de euros, aumentando 644 milhões de euros relativamente a outubro do ano passado”, revela o INE esta sexta-feira.
Comentários