PremiumBdP questiona Montepio por responsável pelo risco vir da CMVM

O Banco de Portugal levantou objeções ao nome de Carlos Alves que foi proposto para presidente do Comité de Risco por este ter vindo da CMVM.

O Banco de Portugal escreveu à Caixa Económica Montepio Geral  a pedir esclarecimentos ao nome proposto por Carlos Tavares para  presidente do Comité de Risco da Caixa Económica Montepio Geral. Trata-se de Carlos Alves e é um dos dois nomes que estão a ser avaliados pelo supervisor no âmbito de um pedido de autorização para o exercício de funções  (o outro é Leandro Silva que está pedido para administrador executivo).

O departamento de supervisão prudencial do Banco de Portugal questiona não só a independência de Carlos Alves para fiscalizar a atividade da administração executiva do banco liderado por Carlos Tavares, como a ausência de um período de nojo entre as funções de administrador de um supervisor financeiro e a administração de uma entidade supervisionada.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMontepio suspende projeto para retirar 700 milhões de malparado

Chama-se “Projeto Douro” e pretendia retirar do balanço do banco entre 600 a 700 milhões de imóveis e crédito malparado a grandes empresas. Mas o processo está parado e sem data de retoma.

Laginha de Sousa defende a tributação do carbono para alinhar os incentivos privados com os objetivos sociais

Numa intervenção nas ESG Talks, o ainda administrador do Banco de Portugal e futuro presidente da CMVM, Luís Laginha de Sousa, citou um estudo recente da consultora McKinsey, que constata que mais de 90% das empresas do S&P 500 publicam atualmente algum tipo de relatório sobre sustentabilidade ESG. 

Fundação Santander lança mil bolsas para curso de negócios digitais

A Fundação Santander lançou mil bolsas que dão acesso ao curso Digital Business Development do Técnico+ Formação Avançada, unidade de pós-graduação do Instituto Superior Técnico.
Comentários