Banco de Portugal vê crescimento da economia nacional a desacelerar para 1,7% em 2020

A instituição presidida por Carlos Costa está ligeiramente mais otimista face ao relatório de junho, mas projeção fica abaixo da meta inscrita pelo Governo no Orçamento do Estado.

Carlos Costa | Cristina Bernardo

O Banco de Portugal (BdP) está mais pessimista do que o Governo e projecta que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 1,7% no próximo ano. Apesar de ver a economia a crescer mais uma décima do que em junho, fica abaixo da meta de 1,9% inscrita pelo Executivo no Orçamento do Estado para 2020.

O organismo presidido por Carlos Costa explica, no Boletim Económico, divulgado esta terça-feira, que a revisão da projeção para o crescimento do PIB para o próximo ano face ao relatório anterior “decorre de um maior crescimento do consumo privado e público”.

Para 2019, mantém a perspetiva de um crescimento da economia de 2%, do relatório de outubro.

“As atuais projeções para a economia portuguesa apontam para uma trajetória de desaceleração da atividade económica ao longo do horizonte de projeção, de um crescimento de 2,4% em 2018 para 1,6% em 2022, o que se traduz numa convergência para um ritmo de crescimento próximo do potencial”, refere o relatório.

O BdP antecipa que o crescimento em Portugal deverá manter um diferencial positivo face ao da zona euro entre 2019 e 2022. “Em parte, a redução deste diferencial reflete a recuperação do crescimento na área do euro no final do horizonte de projeção, em resultado de uma aceleração das exportações em 2021-22”.

Segundo as projeções do BdP, o saldo da balança corrente e de capital “mantém-se, em média, excedentário no período de projeção, aumentando em 2020-21 em reflexo do perfil de transferências das instituições europeias e reduzindo-se no final do horizonte com a dissipação parcial destes efeitos.

Recomendadas

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

UE dá luz verde a entrada de Croácia no espaço Schengen

Com esta aprovação, pelos ministros dos Assuntos Internos da UE, seguindo a recomendação da Comissão Europeia de 16 de novembro, a Croácia deixará de ter fronteiras internas com os outros países do espaço Schengen.

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.
Comentários