Beevo inicia processo de internacionalização

Suécia é a primeira escolha da plataforma de soluções ‘e-commerce’. Alemanha, França e Reino Unido são os mercados que se seguem.

A BEEVO, plataforma de soluções e-commerce B2C, B2B e B2E para médias e grandes empresas, criada em Braga, no ano de 2015, inicia o seu processo de internacionalização com a entrada na Suécia, através de um acordo feito com a empresa ‘Commerz SE’.

A ‘Commerz SE’, uma empresa com mais de 10 anos de existência, especializada em digital customer care, é o primeiro parceiro internacional da BEEVO e assume a função de country manager, ficando responsável pela distribuição da plataforma de e-commerce neste mercado.

De acordo com Rui Cruz, CEO da plataforma, “a entrada na Suécia é o primeiro passo de uma estratégia de internacionalização já delineada para a empresa, cujo objetivo é colocar a BEEVO entre os líderes mundiais em plataformas de e-commerce. Para que isso aconteça procuramos parceiros de referência, que garantam junto do cliente final, um elevado grau de exigência e dinamismo, e encontrámos na ‘Commerz SE’ o parceiro ideal para dar o primeiro passo na entrada em novos mercados”.

A escolha da Suécia para iniciar o processo de internacionalização deve-se a fatores como o nível de exigência do mercado, que aliado a uma dimensão significativa permite à BEEVO alcançar uma posição de relevo de forma mais rápida, para avançar com a entrada nos restantes países da Escandinávia. Alemanha, França e Reino Unido são os mercados que se seguem na estratégia de internacionalização da startup portuguesa.

Criada em 2015, com um investimento inicial superior a um milhão de euros, a tecnológica portuguesa tem, atualmente, uma equipa de I&D altamente qualificada composta por 25 pessoas. No entanto, pretende aumentar ao longo dos próximos meses.

Para 2017, o objetivo é chegar aos oito parceiros, nacionais e internacionais, e alcançar os 60 clientes, tendo para isso previsto um novo investimento de mais de um milhão de euros. No próximo ano, a Beevo conta atingir uma faturação de quase dois milhões de euros, valor que compara com os mais de 300 mil euros que a empresa faturou, até ao momento, em 2016.

Recomendadas

Airbnb. Anfitriões em Lisboa ganharam mais de 11 milhões com a Web Summit desde 2016

O ano passado, um anfitrião típico em Lisboa ganhou em média 400 euros. Nos quatro dias do evento de tecnologia, que regressa à capital portuguesa no próximo mês, foram acolhidos 11 mil hóspedes.

Capital de risco do grupo Sonae investe na IriusRisk (com áudio)

A empresa de cibersegurança levantou assim 28,7 milhões de dólares em ronda série B liderada pela Paladin Capital para escalar o seu produto a nível mundial. 

Celsius. Depois da insolvência, CEO e co-fundador de saída

O co-fundador e Chief Strategy Officer da Celsius, uma plataforma de criptomoedas, S. Daniel Leon, está de saída. A decisão foi conhecida uma semana depois da demissão do CEO, Alex Mashinky, e poucos meses depois do aberto o processo de insolvência.
Comentários