BEI apoia portuguesa TMG Automotive com empréstimo de 25 milhões

O plano de investimento da empresa têxtil será implementado no distrito de Braga e irá criar 160 novos postos de trabalho”.

HO/Reuters

O BEI – Banco Europeu de Investimento irá conceder um empréstimo de 25 milhões de euros à empresa portuguesa TMG Automotive, para promover processos inovadores e sustentáveis e aumentar a sua capacidade produtiva.

Segundo um comunicado da representação da comissão europeia em Portugal, “o plano de investimento será implementado no distrito de Braga e irá criar 160 novos postos de trabalho”.

“De fábrica têxtil abandonada a unidade inovadora capaz de produzir materiais para a indústria automóvel, utilizando tecnologias de ponta: esta transformação será possível graças a um empréstimo de 25 milhões de euros, concedido pelo BEI à TMG Automotive”, acrescenta o referido comunicado.

O acordo sobre este empréstimo foi assinado em Braga pela vice-presidente do BEI, Emma Navarro, e pela diretora executiva da TMG, Isabel Furtado.

O empréstimo conta com a garantia do orçamento da União Europeia, ao abrigo do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), o principal pilar do Plano de Investimento para a Europa, conhecido como ‘Plano Juncker’.

“Este acordo irá promover uma indústria automóvel mais inovadora e sustentável em Portugal. A TMG utilizará o financiamento para implementar a sua estratégia de investigação e inovação, centrada na utilização de novas tecnologias que reduzem o impacto ambiental dos processos de produção de têxteis para a indústria automóvel. O lançamento de novas soluções de interiores de automóveis também reduzirá o peso dos veículos, contribuindo para a diminuição do consumo de combustível e das emissões poluentes”, acrescenta o referido comunicado.

O documento adianta que este apoio do BEI, irá permitir à TMG remodelar e melhorar as suas instalações industriais localizadas no distrito de Braga, impulsionando assim o crescimento económico numa região de coesão.

“Com o objetivo de estar preparada para concorrer num setor de elevada exigência e para satisfazer as necessidades do mercado no futuro, a empresa também irá expandir a sua capacidade produtiva. O programa de investimento irá promover a partilha de conhecimentos no seio da indústria automóvel europeia, onde a TMG é um interveniente destacado na produção de componentes”, assinala a representação da União Europeia em Portugal.

O comunicado refere ainda que “graças ao apoio do Plano Juncker, o BEI pode conceder à empresa financiamento a longo prazo e em condições flexíveis, que irá acelerar a implementação da estratégia”.

“O Plano de Investimento para a Europa permite ao Grupo BEI expandir a sua capacidade de financiamento de projetos de investimento de elevado valor acrescentado – no caso do presente acordo, promovendo o crescimento económico sustentável, a inovação e a coesão. O programa será implementado até 2020 e contribuirá para a preservação de empregos de qualidade: o grupo TMG conta atualmente com 1.400 trabalhadores e irá criar 160 novos postos de trabalho na mais recente unidade industrial da TMG Automotive”, sublinha o documento da representação da Comissão Europeia em Portugal.

Sobre este acordo de empréstimo, o Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, afirmou que “estamos perante o Plano Juncker no seu melhor: proporcionando a uma empresa o impulso financeiro necessário para promover a sua expansão, utilizar processos mais ecológicos, inovar e criar emprego para as comunidades locais, especialmente nas regiões mais carenciadas”.

“Com esta nova operação, Portugal continua a destacar-se como um dos maiores beneficiários do Plano Juncker”, observou Carlos Moedas.

Na cerimónia de assinatura realizada em Braga, a vice-presidente do BEI, Emma Navarro, declarou que “é com enorme agrado que apoiamos um projeto que irá fomentar o investimento na inovação, o crescimento económico e a criação de empregos altamente qualificados em Portugal, contribuindo também para uma indústria automóvel menos poluente e mais eficiente na Europa”.

“Este acordo demonstra o nosso forte empenhamento em apoiar empresas de média dimensão que atuam em ambientes altamente competitivos, em setores fundamentais para a economia europeia”, defendeu a comissária europeia.

Por seu turno, a diretora executiva da TMG, Isabel Furtado, explicou que, “enquanto membro do UN Global Compact, a TMG Automotive está profundamente empenhada em cumprir os dez princípios deste Pacto, centrados nos direitos humanos, nas práticas laborais, na proteção ambiental e no combate à corrupção, bem como em apoiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas”.

“Aliar os direitos humanos ao crescimento económico sustentável e à proteção ambiental é crucial para o futuro da TMG Automotive”, assegurou Isabel Furtado.

O Banco Europeu de Investimento (BEI) é a instituição de financiamento a longo prazo da União Europeia, cujo capital é detido pelos Estados-Membros. Concede financiamentos a longo prazo para investimentos viáveis que contribuam para a concretização dos objetivos políticos da UE.

O Plano de Investimento para a Europa, também conhecido como ‘Plano Juncker’, é uma das prioridades da Comissão Europeia e está centrado em impulsionar o investimento para gerar emprego e crescimento, utilizando de forma mais eficaz os recursos financeiros, eliminando os obstáculos ao investimento, bem como proporcionando visibilidade e assistência técnica a projetos de investimento.

O Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE) é o pilar central do ‘Plano Juncker’ e presta garantias de primeiras perdas, permitindo ao BEI investir em mais projetos, que acarretam frequentemente maiores riscos.

O FEIE já produziu resultados tangíveis, prevendo-se que os projetos e acordos cujo financiamento foi aprovado ao seu abrigo mobilizem investimentos superiores a 360 mil milhões de euros, incluindo 8.800 milhões de euros em Portugal, e apoiem 850.000 PME nos 28 Estados-Membros.

 

 

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários