BEI e Santander apoiam PME em Portugal com 820 milhões de euros

O Santander Portugal adianta que o acordo com o BEI poderá abranger mais de 3.000 pequenas e médias empresas (PME) e empresas de média capitalização.

Cristina Bernardo

O Banco Europeu de Investimento (BEI) e o Santander Portugal vão apoiar as pequenas e médias empresas (PME) e as empresas de média capitalização (Mid-Caps) em Portugal com 820 milhões de euros.

O acordo, que foi assinado por Manuel Preto, vice-presidente do Santander Portugal, Amílcar Lourenço, administrador do banco, e por Ricardo Mourinho Félix, vice-presidente do BEI, “permitirá conceder mais empréstimos a estas empresas, sobretudo as que operam em regiões menos desenvolvidas, podendo abranger mais de 3.000 PME e Mid-Caps”, indica um comunicado divulgado esta sexta-feira.

Os fundos do BEI serão disponibilizados ao banco através de uma operação de securitização apoiada numa carteira de empréstimos ao consumo. “As PME e as Mid-Caps são os motores da inovação e do crescimento sustentável, tanto em Portugal como em toda a Europa. Estou muito satisfeito com esta nova operação de crédito que foi assinada hoje em Lisboa, que irá aumentar o financiamento às empresas portuguesas que têm dificuldades em obtê-lo”, afirma Ricardo Mourinho Félix, citado no comunicado.

Por outro lado, Amílcar Lourenço realça a importância da operação, afirmando que “no Santander traçámos um caminho lado a lado com os nossos clientes e isso passa por disponibilizar-lhes mecanismos de apoio que os ajudem a desenvolver os seus negócios e a tornaram-se mais competitivos. E este é um passo importante para gerar mais riqueza, emprego e contribuir para a recuperação e crescimento da economia nacional”.

O acordo é assinado numa altura em que o tecido empresarial ainda está a recuperar do impacto da pandemia, ao mesmo tempo que tenta responder ao aumento expressivo de custos agravado pela guerra na Ucrânia.

Recomendadas

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.

Morgan Stanley avança com corte de 1.600 empregos

A redução de quadros, dada em primeira-mão pela “CNBC”, afetou cerca de 1.600 dos 81.567 empregados da instituição financeira e tocou a quase todos os cantos do banco de investimento global. O banco está a seguir os seus concorrentes no restabelecimento de um ritual suspenso durante a pandemia: a saída anual de pessoas com fraco desempenho.
Comentários