Berlusconi: “O centro-direita não precisa de procurar outros líderes”

O antigo primeiro-ministro italiano apelou aos cidadãos para que votassem “Não” no referendo sobre a reforma constitucional e afirmou estar disponível para voltar a ser candidato nas eleições gerais.

Silvio Berlusconi, antigo primeiro-ministro italiano apelou aos cidadãos para que votassem “Não” no referendo sobre a reforma constitucional que se realiza no próximo dia 4 de dezembro, afirmando ainda estar disponível para voltar a ser candidato nas eleições gerais.

O italiano considera que a reforma constitucional apresentada retira capacidade legislativa ao Senado e está feita para servir o Partido Democrata no Executivo.

Berlusconi declarou ainda em entrevista ao jornal “Il Messaggero” ter condições para se apresentar como candidato de direita nas próximas eleições, no seguimento de questões colocadas em relação à sua operação ao coração em junho passado.

“Estou em condições para entrar numa batalha decisiva para a democracia”, assegurou, admitindo no entanto que ainda tem de esperar pelo resultado do recurso para o Tribunal de Estrasburgo da sentença de 2013, onde foi condenado por fraude fiscal e impedido de se candidatar a cargos públicos até 2019.

“O centro-direita não precisa de procurar outros líderes (caso a sentença seja revista) ” afirmou.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.
Comentários