BESI vendido à Haitong por 379 milhões de euros

O Novo Banco informa que vendeu o Banco Espírito Santo de Investimento (BESI) à Haitong, empresa chinesa especializada em serviços financeiros, por 379 milhões de euros. Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Novo Banco frisa que o negócio está agora “dependente das necessárias aprovações, nomeadamente junto do Banco de […]

O Novo Banco informa que vendeu o Banco Espírito Santo de Investimento (BESI) à Haitong, empresa chinesa especializada em serviços financeiros, por 379 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Novo Banco frisa que o negócio está agora “dependente das necessárias aprovações, nomeadamente junto do Banco de Portugal, da Comissão Europeia, das autoridades da concorrência e de um conjunto de outras autoridades que exercem supervisão direta sobre a entidade compradora”.

A 3 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição, que foi designado Novo Banco.

O BESI, aquando da resolução do BES, transitou para o Novo Banco.

O interesse da Haitong no BESI já tinha sido noticiado recentemente e o negócio foi hoje concretizado.

O Novo Banco revelou entretanto à imprensa que a venda deste ativo tem um impacto estimado “superior a 50 pontos base” no rácio de capital (Common Equity Tier I) da entidade.

Na semana passada soube-se que o ativo consolidado do Grupo Novo Banco é de 72.465 milhões de euros, com os capitais próprios a ascenderem a 5,6 mil milhões de euros e o rácio de solvabilidade a atingir os 9,2%, número que deve agora subir para, pelo menos, 9,7%.

A Haitong diz, na sua página na internet, ser uma das principais empresas de valores mobiliários na China em termos de ativos totais e património líquido, fornecendo serviços financeiros globais para mais de 4,6 milhões de clientes.

OJE/Lusa

Recomendadas

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.

Worten cria centro de Marketing Digital

A equipa, liderada por Simão Pires, vai ser responsável pela coordenação de media, redes socias e conteúdo digital, integração e coordenação de meios de comunicação digital e transformação de processos criativos para garantir foco digital.

Três startups vencem programa de inovação da Prio

As empresas AirCO2 Fintech (Espanha), BeFC (França) e Evyon (Noruega) ganharam a sexta edição do “Jump Start”. “Perante desafios tão importantes como a transformação digital, sustentabilidade e a transição energética, acreditamos que é fundamental dar voz e colaborar com startups”, garante a diretora de I&D da petrolífera.