BIC compra seguradora Finibanco Vida ao Montepio por 12 milhões

O Banco BIC está prestes a concluir a aquisição da seguradora Finibanco Vida ao Montepio por um valor na ordem dos 12 milhões de euros, revelou hoje o presidente do Conselho de Administração do banco, Fernando Teles. “Estamos a adquirir a Finibanco Vida, posso anunciá-lo porque o negócio está praticamente fechado”, avançou aos jornalistas o […]

O Banco BIC está prestes a concluir a aquisição da seguradora Finibanco Vida ao Montepio por um valor na ordem dos 12 milhões de euros, revelou hoje o presidente do Conselho de Administração do banco, Fernando Teles.

“Estamos a adquirir a Finibanco Vida, posso anunciá-lo porque o negócio está praticamente fechado”, avançou aos jornalistas o responsável, à margem da inauguração da nova agência do Banco BIC em Lisboa, localizada na Avenida da Liberdade.

O valor da operação vai rondar os 12 milhões de euros, especificou Fernando Teles, reforçando que o processo se encontra “na fase final da assinatura” do contrato de compra e venda com o Montepio.

Teles realçou que a comercialização dos produtos de seguros da Finibanco Vida nos 218 balcões que o banco de capitais luso-angolanos conta neste momento no mercado português vai atrair “mais negócios para o banco”.

Mas esta não foi a única novidade trazida a Lisboa por Fernando Teles que, além de presidente do Conselho de Administração do banco cuja liderança executiva cabe a Luís Mira Amaral, é um dos principais acionistas do Banco BIC Angola e do Banco BIC Português.

“Já iniciámos a nossa operação na Namíbia e abrimos também um escritório de representação na África do Sul”, assinalou, em referência ao Banco BIC Angola, explicando que o objetivo do banco angolano é estar presente nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP), bem como nos países limítrofes de Angola.

Um bom exemplo é o BPN IFI (Cabo Verde), que foi comprado ao Estado português pelo BIC Angola e que, segundo Teles, já recebeu autorização do banco central cabo-verdiano para começar a operar como banco de retalho naquele país.

“Vamos ter um banco comercial em Cabo Verde”, vincou o responsável.

Além disso, depois de ter acertado a compra do BPN Brasil com a Parvalorem, veículo estatal que gere os ativos problemáticos do ex-Banco Português de Negócios (BPN) desde a sua nacionalização em 2008, e que foi comprado ao Estado pelo Banco BIC Português, Teles revelou que o BIC Angola aguarda apenas a licença do banco central brasileiro para fechar este negócio.

“Estamos na fase final do processo. Já estamos a gerir o banco em conjunto com a Parvalorem”, sublinhou.

OJE/Lusa

Recomendadas

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Preço médio das casas do Canadá vai custar perto de 500 mil euros até ao fim de 2023

Aumento das taxas de juro acima do previsto pelo Banco do Canadá estão a fazer com que os custos com a habitação consumam 60% das finanças das famílias, o valor mais elevado desde 1990.

Cenário económico não anula metas de descarbonização

O cenário de uma possível recessão, associada à já frágil conjuntura macroeconómica, não assusta o sector, que diz estar “bem mais preparado” do que em 2008. As fragilidades herdades da pandemia persistem, mas importa não perder o foco das metas estabelecidas.