Biden considera improvável que míssil na Polónia tenha sido disparado a partir da Rússia

Por outro lado, os líderes do G7 e da NATO decidiram apoiar uma investigação sobre a queda do míssil de fabrico russo, revelou o Presidente dos EUA.

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse hoje que é improvável que o míssil que atingiu a Polónia e matou duas pessoas tenha sido disparado a partir da Rússia.

“Há informações preliminares que contestam isso”, disse Biden aos jornalistas quando questionado se o míssil foi disparado da Rússia. “É improvável nas linhas da trajetória que tenha sido disparado da Rússia, mas veremos”, acrescentou.

Por outro lado, os líderes do G7 e da NATO decidiram apoiar uma investigação sobre a queda do míssil de fabrico russo, revelou o Presidente dos EUA.

Em Bali, onde Joe Biden se encontra a participar na cimeira do G20, o governante explicou que este acordo foi alcançado “por unanimidade” durante uma reunião de emergência que decorreu esta manhã.

De acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP), o encontro realizou-se no hotel Grand Hyatt, em Bali, onde está hospedado Joe Biden.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Polónia confirmou esta noite que um “projétil de fabrico russo” atingiu o território deste país da NATO junto à fronteira com a Ucrânia, causando a morte a duas pessoas.

“Na vila de Przewodów (…), um projétil de fabrico russo caiu [na terça-feira], matando dois cidadãos da República da Polónia”, salienta-se num comunicado do porta-voz do ministério, Lukasz Jasina.

Na mesma nota acrescenta-se que o embaixador russo na Polónia foi convocado para prestar “explicações detalhadas”.

Além de Biden, estiveram presentes no encontro de emergência o chanceler alemão, Olaf Scholz, os primeiros-ministros do Canadá, Reino Unido, Itália e Japão, Justin Trudeau, Rishi Sunak, Giorgia Meloni e Kishida Fumio, respetivamente, e o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Também a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, encontram-se no local, informou a Casa Branca.

 

Relacionadas

Zelensky acusa Rússia de enviar mensagem ao G20 com míssil na Polónia

Há “um Estado terrorista entre vós, contra o qual temos de nos defender”, disse Zelensky numa segunda intervenção por videoconferência na cimeira do G20, segundo texto do discurso visto pela agência francesa AFP.

Líderes europeus no G20 realizam hoje uma reunião sobre explosão na Polónia (com áudio)

Charles Michel tomou esta decisão depois de falar ao telefone com o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, e assegurar-lhe “a plena unidade e solidariedade da UE em apoio à Polónia”.

NATO rastreia míssil que caiu na Polónia e matou duas pessoas

“A informação com pistas de radar [do míssil] foi fornecida à NATO e à Polónia”, acrescentou a mesma fonte, que não foi identificada.
Recomendadas

Vladimir Putin e Will Smith foram os mais “populares” no Google este ano

As tendências hoje divulgadas pela Google em Portugal registam as palavras que mais cresceram nas pesquisas de Internet, face ao ano anterior, e colocam em terceiro lugar nesta categoria (nomes internacionais) o ator Johnny Depp, cujo divórcio da atriz Amber Heard, sob acusações mútuas de agressões, teve destaque nos ‘media’.

Eutanásia: o referendo da discórdia. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

São Tomé e Príncipe. Contrato que envolve três portos são-tomenses “lesa interesses do país”, diz Patrice Trovoada

“Não posso deixar de dizer as coisas: é um contrato leonino que não serve os interesses do país”, declarou o primeiro-ministro são-tomense, em entrevista à Lusa em Lisboa.
Comentários