Biden dá primeiro passo para Congresso avaliar ampliação da NATO

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, começou hoje o processo para que o Congresso americano avalie a adesão à NATO da Finlândia e da Suécia.

Num comunicado, a Casa Branca anunciou que Joe Biden já enviou um relatório sobre a Finlândia e outro sobre a Suécia (em que é analisada a sua integração na NATO) a várias comissões do Congresso americano.

Este será apenas um primeiro passo, não havendo uma data definida para que o Congresso ratifique o protocolo de adesão à NATO que a Finlândia e a Suécia têm previsto assinar em 5 de julho.

A maioria dos democratas e republicanos do Congresso dos Estados Unidos apoia a integração destes dois países escandinavos naquela organização, pelo que se espera que o processo avance sem problemas.

A ratificação final do protocolo pode ocorrer antes das férias de agosto, afirmou o líder dos republicanos no Senado, Mitch McConnell, durante uma visita à capital da Finlândia, Helsínquia, em maio.

Durante a cimeira da NATO, que se realizou em Madrid, os líderes da organização concordaram em convidar a Finlândia e a Suécia a integrarem a aliança, com a assinatura do protocolo em 5 de julho a servir apenas para oficializar o acordo.

Esta integração é motivada pela guerra na Ucrânia, que levou aqueles dois países, com uma tradição de uma postura neutra no campo internacional, a pedirem a integração na NATO.

O processo acabou por se tornar mais complicado, face aos bloqueios criados pela Turquia, que considerou aqueles dois Estados negligentes no tratamento de organizações que Ancara classifica como sendo terroristas.

No entanto, foi possível chegar a um acordo, após cedências dos estados escandinavos.

Essas cedências levantam sérias preocupações sobre a possibilidade de extradição junto da comunidade curda e de opositores do regime turco a residir nesses dois países.

Relacionadas

PremiumNATO atira Rússia e a China para o outro lado da barricada

A entrada da Suécia e da Finlândia na NATO formaliza um novo paradigma das relações entre as potências mundiais pós-Guerra Fria. E pode também mudar o cenário de guerra na Ucrânia no sentido de uma escalada da violência e do extremar de posições.

NATO. EUA incentivam Portugal a atingir meta de 2% do PIB para Defesa

Entretanto, os EUA não têm planos de reforço na Base das Lajes, indicou à Lusa fonte governamental norte-americana

NATO. PCP alerta para projeção de ação “desestabilizadora” na Ásia-Pacífico

O PCP considera que as conclusões da cimeira da Organização do Tratado Atlântico Norte (NATO) já não escondem o seu objetivo de entidade “global”, nomeadamente de projetar a sua ação “desestabilizadora e belicista” na Ásia-Pacífico.
Recomendadas

Sobe para 21 o número de mortos no bombardeamento russo em Kharkiv

Pelo menos 21 pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas na sequência dos bombardeamentos russos na região de Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, segundo o mais recente balanço divulgado, esta sexta-feira, pelas autoridades ucranianas.

Ucrânia. Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou hoje a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

França nega “obstáculo” às exportações russas e vê “instrumentalização”

A presidência francesa defendeu hoje que não existe “obstáculo” às exportações de produtos agrícolas russos, considerando as críticas nesse sentido do chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, uma tentativa de “instrumentalização política”.
Comentários