Biden e Harris juntam-se à campanha democrata para o Senado na Georgia na próxima semana

A dupla corrida na Georgia determinará a orientação futura do Congresso, já que uma vitória democrata em ambas as eleições virará a câmara alta, o Senado, para a bancada azul e deixa a porta aberta à aprovação da agenda de Biden.

A dupla presidencial eleita nos EUA, o presidente Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris, irão regressar à campanha para apelar ao voto nos candidatos democratas pelo estado da Gerogia ao Senado, numa dupla segunda volta que poderá determinar uma nova maioria no órgão e, consequentemente, no Congresso.

Kamala Harris estará em Savannah, uma cidade costeira do estado da Georgia, no dia 3 de janeiro, enquanto que o presidente eleito Biden irá deslocar-se a Atlanta no dia seguinte. A eleição está marcada para dia 5 de janeiro.

As corridas opõem os republicanos incumbentes David Perdue e Kelly Loeffler aos democratas Jon Ossoff e Raphael Warnock, respetivamente. Em ambos os casos prevê-se uma eleição disputada, sendo que o Partido Democrata precisa de conquistar ambos os lugares se quer conseguir um empate de 50 senadores para cada lado, sendo que a vice-presidente, que preside à câmara, desempata a favor dos azuis.

Os dados recolhidos pela FiveThirtyEight, que faz uma média ponderada das sondagens disponíveis para cada eleição, o cenário de um Congresso totalmente democrata é possível, com Ossoff e Warnock a liderarem ambas as corridas, embora por margens muito apertadas.

A imagem dos republicanos no Senado está danificada pelos desenvolvimentos recentes em torno dos pagamentos a efetuar ao povo americano no contexto das medidas de apoio e estímulo à economia, que é das mais afetadas pela crise pandémica.

Depois da mensagem de Trump, que pediu pagamentos mais significativos em linha com aquelas que tinham sido as exigências dos democratas durante vários meses de árduas negociações, os senadores republicanos deste estado manifestaram o seu apoio ao presidente. Warnock e Ossoff mantiveram o seu apoio às intenções democratas de apoios mais substanciais durante todo o processo negocial do pacote.

Recorde-se que, apesar de historicamente republicano nas últimas décadas, o estado da Georgia atribuiu os seus 16 votos no Colégio Eleitoral ao candidato democrata Joe Biden, uma vitória chave para o futuro presidente. Fulcral para este resultado foi a participação da comunidade urbana de Atlanta, um dos maiores centros metropolitanos do país e polo onde se concentra mais de metade da população do estado. Biden venceu por uma margem inferior a 12 mil votos.

Recomendadas

Itália. UE quer novo governo a cumprir programa económico para receber mais financiamento

A Comissão Europeia indica que Itália já atingiu 45 metas nos planos de reforma que incluem áreas como o ensino e saúde, de forma a poder receber mais 21 mil milhões de euros em fundos de recuperação pós-pandemia.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Ucrânia. Referendos em territórios ocupados sem reconhecimento internacional, diz Cravinho

Os referendos em curso nos territórios ocupados ucranianos não terão reconhecimento da comunidade internacional, disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, sublinhando que são uma farsa do poder ocupante e ilegítimo russo.
Comentários