BIG projeta poupança no refinanciamento da dívida que pode ir até 390 milhões de euros em 2020

No “Outlook 2020”, o BIG projeta que aos níveis actuais de taxa de juro haverá poupanças significativas no refinanciamento da dívida, que podem variar entre os 2,1%, os 2,6% e os 0,1%.

O Banco de Investimento Global – BIG considera que o juro médio anual da dívida irá continuar a reduzir-se nos próximos dois anos com a queda da yield em 2019 e num cenário mais otimista pode representar uma poupança de 390 milhões de euros no próximo ano.

No “Outlook 2020”, no qual os analistas do banco assinalam esperar que “aos níveis actuais de taxa de juro haverá poupanças significativas no refinanciamento da dívida”, o BIG projeta um cenário base, um otimista e um pessimista sobre o refinanciamento da dívida, com poupanças de refinanciamento que variam entre os 2,1%, os 2,6% e os 0,1%.

“Nos últimos anos a média anual de refinanciamento de dívida a médio longo prazo, ronda os 15 mil milhões de euros e o juro médio anual foi 3,1% em 2018”, destacam, assumindo a mesma tendência para os próximos dois anos.

No cenário base, os analistas projetam uma yield média anual a 1% nos próximos refinanciamento permitindo uma poupança fiscal de 310 milhões de euros em 2020 e de 620 milhões de euros em 2021.

Num cenário optimista, com uma yield média anual de 0,5%, os próximos refinanciamentos conduzem a uma poupança fiscal de 390 milhões de euros em 2020 e de 780 milhões de euros em 2021. Neste cenário, esta poupança equivale a 22% do défice de 2018.

Já num cenário pessimista, na qual a yield média anual a 3% nos próximos refinanciamentos a poupança fiscal cai para 15 milhões de euros em 2020 e de 30 milhões em 2021, representando cerca de 0,8% do défice de 2018.

Recomendadas

Wall Street encerra sessão a negociar no ‘verde’. Destaque para Dow Jones que soma mais de 2,50%

No final do dia em Wall Street, o Dow Jones avança 2,66% para 29.490,89 pontos, o S&P 500 ganha 2,47% para 3.674,30 pontos e o tecnológico Nasdaq valoriza 2,27% para 10.815,43 pontos. 

PSI lidera subidas na Europa com CTT e NOS a valorizarem à volta de 5%

“As bolsas europeias ganharam ânimo ao longo da sessão e acabaram por encerrar em alta, com o PSI em destaque, ao valorizar quase 2%. O índice de ações português foi impulsionado pelo disparo superior a 5% da NOS, perante perspetivas de que o mercado móvel nacional possa encolher de cinco para quatro players depois da Vodafone Portugal ter concordado em comprar a Nowo”, relata o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro.

Samba Digital entra na Bolsa de Lisboa a 6 de outubro

A Samba Digital trabalha com os maiores clubes e jogadores do futebol inglês, francês, italiano e alemão. E, desde este ano, com a Primeira Liga Portuguesa.
Comentários