BioNTech capaz de produzir vacina que contra a nova variante em seis semanas

Uğur Şahin informou que a equipa da BioNTech já arrancou com estudos para comprovar a eficácia da vacina em casos confirmados pela nova estirpe. Resultados deverão ser divulgados entre janeiro e fevereiro.

Reuters/Fabian Bimmer

O CEO da farmacêutica alemã BioNTech diz estar confiante de que a vacina desenvolvida em parceria com a Pfizer pode ser administrada a doentes infetados com a nova estirpe da Covid-19. No entanto, acrescenta que é necessário serem realizados mais testes para comprovar essa teoria.

Numa conferência de imprensa, realizada esta terça-feira, Uğur Şahin informou que a equipa já arrancou com estudos e que os resultados deverão ser divulgados entre janeiro e fevereiro.

“Neste momento não sabemos se a nossa vacina é capaz de proteger contra a nova variante, mas cientificamente falando, é muito provável que o sistema imunitário criado pela vacina seja capaz de lidar com outras variantes destes vírus”, afirmou, acrescentando que a nova estirpe tem uma composição 99% semelhante aquela que circula atualmente no mundo.

“Acreditamos que não há razões para ficarmos preocupados”, sublinhou.

Caso se comprove ser ineficaz, a empresa, responsável, juntamente com a Pfizer, pela primeira vacina autorizada contra a Covid-19 do mundo, diz que é capaz de fornecer uma outra “em seis semanas” em caso de mutação do vírus, como aconteceu no Reino Unido.

“Somos tecnicamente capazes de entregar uma nova vacina em seis semanas”, disse o cientista e empresário do laboratório alemão BioNTech. “A beleza da tecnologia de RNA mensageiro é que podemos começar directamente a projectar uma vacina que imite completamente a nova mutação”, acrescentou o responsável,

Esta segunda-feira, a vacina da Pfizer-BioNTech recebeu o parecer positivo da Agência Europeia do Medicamento (EMA) e da Comissão Europeia, o que significa que a distribuição do fármaco pelos 27 estados-membros poderá começar nos próximos dias. Em Portugal, as primeiras doses deverão chegar a 26 de dezembro de forma a que, no dia seguinte, o processo de vacinação arranque não só no país como no resto da Europa, conforme pedido pelo executivo em Bruxelas.

O plano de vacinação para Portugal prevê que, a 4 de janeiro, cheguem cerca de 303 mil doses, em fevereiro, 429 mil doses e 487,500 doses em março. Os profissionais de saúde de cinco centros hospitalares vão ser os primeiros a receber esta vacina.

Recomendadas

EDP Renováveis vende Companhia Paranaense de Energia por 350 milhões de euros

A venda foi feita por um Enterprise Value (inclui dívida) estimado de 1,80 mil milhões de reais a 31 de dezembro de 2021 (o que equivale a 0,35 mil milhões de euros à taxa cambial de 5,16 euros/um real), e que será ajustado à data de conclusão.

Sindicatos desconvocam greve no Metro de Lisboa marcada para quarta-feira

No entanto, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações entregou um novo pré-aviso de paralisação para 25 de outubro.

Talent Protocol compra empresa canadiana ligada à blockchain

A escolha recaiu sobre a Agora Labs, fundada por um grupo de quatro adolescentes. Matthew Espinoza (agora com 20 anos) e Freeman Zhang (de 19 anos) juntam-se à equipa da startup portuguesa dos ‘tokens’ para profissionais talentosos.
Comentários