Bitcoin alcança valor mais alto em uma semana e ultrapassa os 20 mil dólares

A criptomoeda subiu 5% esta terça-feira, acompanhada pela Ethereum, que subiu 4%, num dia de subidas generalizadas entre as criptomoedas.

A principal criptomoeda por capitalização, a Bitcoin, alcançou o valor mais alto em uma semana. A criptomoeda mais valiosa do mercado subiu 5% esta terça-feira, chegando aos 20.286 dólares (21.101 euros), de acordo com a “Reuters”. Um valor distante, ainda assim, dos máximos alcançados no final do ano que passou.

Este é um crescimento que acompanhou a subida generalizada das criptomoedas, como foi o caso da Ethereum, a segunda criptomoeda por capitalização, que aumentou 4% esta terça-feira, também para um máximo de uma semana, mas neste caso avaliado em 1.389 dólares (1.445 euros).

Ainda assim, as duas criptomoedas estão em baixa profunda, quando comparadas com os registos do final de 2021. Naquela altura, a Bitcoin registou máximos históricos de 64.400 dólares (agora 67 mil euros), enquanto a Ethereum chegou aos 4.600 dólares (agora 4.800 euros).

Desde então, ambas sofreram quedas acentuadas no presente ano, essencialmente nos meses seguintes ao início da guerra entre Rússia e Ucrânia.

No mercado mais amplo, o dólar derrapou ligeiramente esta terça-feira, na sequência da subida registada no dia anterior.

Recomendadas

PSI encerra sessão em alta ligeira em contraste com generalidade dos mercados europeus

O banco liderado por Miguel Maya cessou o dia com ganhos de 1,23% para 0,1479 euros, seguido da NOS, com 1,21% para 3,83 euros. A Semapa terminou o dia a subir 1,90% para 13,98 euros.

Wall Street arranca semana em baixa

Assim, na abertura de Wall Street, o Dow Jones perde 0,62% para 34.217,92 pontos, o S&P 500 cede 0,69% para 34.217,92 pontos e o tecnológico Nasdaq recua 0,54% para 11.399,31 pontos. 

PSI cresce 2,5% em novembro e reforça valorização anual para 5,3%

O ranking mensal de aumento das cotações corresponde à Galp (14,7%), à Semapa (11,3%), ao BCP (5,7%), à EDP Renováveis (3,5%), à Greenvolt (3,2%), à EDP (2,1%), aos CTT (1,8%), à Mota-Engil (1,5%), à Jerónimo Martins (1%) e à Navigator (0,2%). 
Comentários