Black Friday: Clientes portugueses da Kwanko com ganhos de 1,8 milhões via online

Corrida aos preços mais baixos resultou em mais de 20 mil encomendas pela internet, tendo-se registado no total mais de 2,5 milhões de cliques, só que no que concerne a clientes da Kwanko em Portugal.

REUTERS/Henry Romero

A Black Friday de 25 de novembro rendeu 1,8 milhões de euros em vendas online só para clientes da Kwanko. A corrida aos preços mais baixos resultou em mais de 20 mil encomendas pela internet, tendo-se registado no total mais de 2,5 milhões de cliques.

Os dados são da Kwanko, a empresa especializada em marketing digital de performance, que indica ainda que 58% das encomendas foram realizadas através de desktop, 19% em tablets e 23% mobile.

Em todo o mundo, os dados recolhidos pela Kwanko apontam para um total de vendas a rondar os 30 milhões de euros. Os cerca de 35 milhões de cliques geraram 310 mil encomendas finais em lojas virtuais associadas à Kwanko. Destas, 47% foram efetuadas através de desktop, 24% via tablet e 29% via mobile.

A ação de vendas norte-americana, importada por vários países a nível mundial, trouxe às lojas os descontos pré-natalícios gritantes, que dispararam até aos 75%. Sinónimo de poupança e consumo, a Associação Portuguesa para a Defesa dos Direitos do Consumidor (DECO) alerta para a constante inflação de preços dos produtos comercializados durante a Black Friday. Apesar dos alertas, milhões de pessoas em todo o mundo continuam a aderir à loucura dos preços baixos.

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quinta-feira

O Banco de Portugal divulga esta quinta-feira o Boletim Económico de outubro, A expectativa quanto a estas previsões é significante, especialmente depois da pressão do Presidente da República para que o Governo divulgasse as projeções macroeconómicas antes de anunciar o Orçamento do Estado para 2023.

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.
Comentários