BlackRock doa 100 milhões a programa público-privado de energias limpas fundado por Bill Gates

O foco inicial do programa será ajudar a acelerar o desenvolvimento e comercialização de quatro tecnologias ligadas à energia limpa: captação direta de ar, hidrogénio verde, armazenamento de energia de longa duração e combustível de aviação sustentável.

Eduardo Munoz/Reuters

A BlackRock Foundation doou 100 milhões de dólares (cerca de 85,4 milhões de euros) à Breakthrough Energy’s Catalyst Program com o objetivo de investir em tecnologias que pretendem alcançar a neutralidade carbónica até 2050.

O Breakthrough Energy Catalyst é um novo programa dentro da rede Breakthrough Energy, fundada por Bill Gates, que promove parcerias no sector público-privado para ajudar a construir a base de uma nova economia neutra em carbono.

O Catalyst reúne empresas, governos, instituições filantrópicas e indivíduos para investir em tecnologias climáticas que possibilitarão atingir a meta de zero emissões líquidas até 2050, explica o comunicado divulgado esta segunda-feira. Uma delas é a Boston Consulting Group (BCG) que anunciou que se juntou a outras seis empresas para se tornar num dos parceiros fundadores do Breakthrough Energy Catalyst.

O foco inicial do programa será ajudar a acelerar o desenvolvimento e comercialização de quatro tecnologias ligadas à energia limpa: captação direta de ar, hidrogénio verde, armazenamento de energia de longa duração e combustível de aviação sustentável.

“A transição para um mundo neutro em carbono e a criação de um futuro mais sustentável é uma responsabilidade partilhada por cada cidadão, empresa ou governo. Mobilizar 50 biliões de dólares [trillion em inglês] de capital necessário para financiar a transição energética global vai requerer parcerias inovadoras entre os setores público, privado e sem fins lucrativos”, disse Larry Fink, presidente e CEO da BlackRock. De acordo com o responsável, o investimento prolongar-se-á por cinco anos.

No início deste ano, a BlackRock arrecadou 250 milhões de dólares (cerca de 213 milhões de euros) para a Climate Finance Partnership (CFP), um consórcio de governos, instituições filantrópicas e investidores institucionais, para investir em geração de energia renovável, soluções de armazenamento de energia e transporte eletrificado serviços em mercados emergentes.

Desde que o Catalyst foi apresentado, no início deste ano, já foram anunciadas parcerias em grande escala com a União Europeia e com o Departamento de Energia dos Estados Unidos. O anúncio desta segunda-feira representa o primeiro grupo de organizações do setor privado a juntar-se formalmente à comunidade de parceiros do Catalyst.

“Evitar um desastre climático vai exigir uma nova revolução industrial”, cita o comunicado as declrações do fundador, Bill Gates. “Metade da tecnologia necessária para chegar às zero emissões ainda não existe ou é muito cara para grande parte do mundo. O Catalyst foi projetado para mudar isso e fornecer uma forma mais eficaz de investir no nosso futuro com tecnologia limpa”.

Recomendadas

Alemanha reitera apoio a gasoduto nos Pirinéus e diz que França não excluiu projeto

O chanceler alemão destacou que este projeto tem uma perspetiva de longo prazo e que, para além do transporte de gás no imediato, servirá para fornecer outras energias, como hidrogénio, no futuro.

“Nova atitude da TAP perante os gastos terá de abranger também os pilotos”, desafia SPAC

Sindicato dos Pilotos diz que “enquanto uns têm cortes brutais no seus vencimentos” e ainda há “processos de despedimento em curso”, renova-se o parque automóvel dos cargos de direção “com 79 viaturas”.

TAP diz que renovação da frota automóvel permite poupar anualmente 630 mil euros

A TAP diz que a opção de comprar 50 BMWs representa uma poupança superior a 20% do valor mensal da renda e tributação, relativamente a novos contratos de renting e está em linha com o plano de reestruturação.
Comentários