BlackRock reduz na EDP para menos de 10% e baixa posição na EDP Renováveis

A norte-americana BlackRock reduziu na EDP para menos de 10% e na EDP Renováveis para menos de 3%. As transações datam de 22 de abril.

A gestora de fundos norte-americana BlackRock, comunicou à EDP que reduziu a sua participação de 10,01% para 9,37% do capital social e dos respetivos direitos de voto da empresa liderada por Miguel Stilwell de Andrade.

O patamar abaixo de 10% foi atingido pela BlackRock no dia 22 de Abril de 2022. O fundo norte-americanos mantém-se como segundo maior acionista da EDP, logo após a China Three Gorges que tem 20,22%.

Em comunicado à CMVM o grupo EDP refere ainda que a BlackRock a notificou para dar conta que reduziu também a participação na EDP Renováveis no mesmo dia.

“Em resultado de transações executadas a 22 de abril de 2022, a BlackRock ultrapassou o limiar mínimo de 3% para posições acionistas qualificadas. Após tais transações, é atribuída à Blackrock 28.055.101 direitos de voto na EDP Renováveis, correspondentes a 2,920% do agregado de direitos de voto na companhia”, lê-se no comunicado.

A BlackRock, que tinha 3,384% da EDP Renováveis (detida em 78,62% pela EDP), já não tem nenhuma participação qualificada na empresa portuguesa de energias verdes

Recomendadas

PremiumSystemic tem cinco novos investidores

Carlos Loureiro, José Galamba de Oliveira, Raúl Marques, Rui Leão Martinho e Vítor Nunes são os novos sócios da consultora fundada por Sofia Santos, que apoia empresas na área da sustentabilidade e ESG.

Porquê é que o teletrabalho é usado nuns países e noutros não?

A forma como se trabalha mudou radicalmente em vários países, com as empresas a fazer a transição de funções no escritório para total ou parcialmente remotas, e com os trabalhadores a incentivar a mudança. Contudo, nem todas as nações aderiram.

PremiumVenda do Atlântico avança e espanhóis fora da corrida ao BPG

O pedido de compra do Atlântico Europa pelo Well Link Group está finalmente a evoluir, depois do acordo assinado no inicio de 2020. Já o BPG optou por abrir o processo competitivo de venda.
Comentários