Bloco considera que Eduardo Cabrita não tem condições para continuar no Governo

Esta posição foi transmitida pelo líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, na Assembleia da República, na sequência da reação da cúpula do SEF e do próprio Ministério da Administração Interna ao caso em que um cidadão ucraniano morreu nas instalações deste serviço de segurança no aeroporto de Lisboa.

Cristina Bernardo

O Bloco de Esquerda considerou hoje que Eduardo Cabrita não tem condições para continuar ministro da Administração Interna por se ter revelado incapaz de fazer mudanças estruturais no funcionamento do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Esta posição foi transmitida pelo líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, na Assembleia da República, na sequência da reação da cúpula do SEF e do próprio Ministério da Administração Interna ao caso em que um cidadão ucraniano morreu nas instalações deste serviço de segurança no aeroporto de Lisboa.

“A composição do Governo é uma competência do primeiro-ministro [António Costa], mas o Bloco de Esquerda entende que o SEF tem problemas sistémicos e que, ao fim de oito meses, o ministro da Administração Interna já não pode fazer parte da solução para resolver esses mesmos problemas”, declarou Pedro Filipe Soares.

Relacionadas

Sindicato de trabalhadores do SEF lamenta que alterações ao serviço não tenham vindo mais cedo

O SCIF/SEF lembra os repetidos avisos e pedidos que endereçou aos Governos nacionais dos últimos 10 anos, lamentando que tenha sido necessária a morte de um cidadão ucraniano a cargo do SEF para que houvesse vontade política de promover alterações.

MAI destaca medidas tomadas no SEF em prol dos direitos humanos

O Ministério da Administração Interna, que tutela o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, fez questão de destacar as medidas tomadas na sequência da morte de Ihor Homeniuk em circunstâncias dúbias e ainda por esclarecer a cargo do órgão, depois de aterrar em Lisboa vindo de Istambul.
Recomendadas
Carlos Moedas

Moedas diz que classe política “tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que o 1.º de Dezembro ensinou que a “classe política tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”, não podendo fechar-se “sobre si mesma” ou considerar ser “imune à crítica”.

Costa apela para celebração da “força da bandeira nacional” em mensagem do Dia da Restauração

 O primeiro-ministro António Costa homenageou hoje a “memória dos que lutaram e contribuíram” para a restauração da independência de Portugal, apelando para a celebração da “soberania” e da “força da bandeira nacional”, numa mensagem evocativa do 1.º de dezembro.

Marcelo agradece a ciganos que “deram a vida pela independência” e lamenta discriminação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou hoje os ciganos que “deram a vida” pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.
Comentários