Bloomberg: Galp considera venda de exploração de petróleo em Angola

A petrolífera portuguesa está a avaliar o interesse do mercado nos seus ativos angolanos que valem 295 milhões de dólares, revela a “Bloomberg”.

A Galp está a considerar vender as suas operações de exploração de petróleo em Angola, revela hoje a “Bloomberg” que cita pessoas com conhecimento da matéria.

A companhia está a trabalhar com assessores financeiros para medir o interesse dos seus ativos no país lusófono. A petrolífera portuguesa já enviou documentos promocionais a potenciais investidores.

Depois do Brasil, que é a joia da coroa e a origem da maioria da produção da Galp, Angola também é responsável por uma parte da produção da empresa. Os seus ativos angolanos estão avaliados em 295 milhões de dólares, segundo uma estimativa da Caixa BI.

A petrolífera pública angolana Sonangol tem uma participação indireta na Galp através da Amorim Energia que, por sua vez, detém 33% da petrolífera.

A Galp detém participações em cinco projetos offshore nos blocos 14 e 14K.

Angola foi responsável por 9,4% da produção total da Galp em 2021, num total de 10,9 mil barris diários, contra os 112 mil com origem em Angola.

Recomendadas

CEO da Electronic IDentification: “Estivemos quase a desaparecer duas ou três vezes”

Iván Nabalón, fundador e CEO da Electronic IDentification, conta ao JE como quer aumentar os clientes digitais dos bancos e seguradoras.

Uberização do mercado das entregas deverá continuar a crescer

Empresas que trabalham para o sector da logística e transporte acreditam que a concorrência das plataformas digitais veio para ficar.

Navigator paga dividendo de 0,1406 euros por ação a 7 de junho

A partir do dia 3 de junho (inclusive), as ações serão transacionadas em mercado regulamentado sem conferirem direito ao dividendo, diz a empresa.
Comentários